É show ou é fria? – 4ª semana de julho

Na Mira do Regis

MONA GADELHA
24 - SESC São Carlos - São Carlos (SP)
29 - SESC Santo André - Santo André (SP)

Uma das boas cantoras e compositoras brasileiras que ainda não tiveram o seu talento devidamente reconhecido, Mona Gadelha vai mostrar as canções de seu mais recente disco, Praia Lírica, no qual resgata canções de compositores cearense dos anos 70, principalmente da turma que ficou conhecida como "Pessoal do Ceará" — Ednardo, Rodger Rogério e Tetty. Como ela estará acompanhada apenas pelo pianista Fernando Moura, prepare-se para um show intimista e de muito bom gosto.

ALEXANDRE PIRES (veja minha opinião aqui)
24 e 31— Barra Music — Rio de Kaneiro
22 — Festival de Inverno — Volta Redonda (RJ)
27 - Parque de Exposições — Goiatuba (GO)
29 - Parque de Exposições — São Fidélis (RJ)
31 - Barra Music — Rio de Janeiro

DI MELO
26 - SESC Santos — Santos (SP)

Bastante cultuado por um círculo de fãs — que incluem DJs e adoradores de soul music de várias partes do mundo - de seu disco homônimo lançado em 1975, este cantor e compositor pernambucano vai mostrar também algumas canções inéditas, sendo que neste "bolo" há parcerias com Jair Rodrigues e Geraldo Vandré. Só a presença das canções de seu primeiro e único álbum já faz este show valer a pena...

FITO PÁEZ (assista ao vídeo)
26 — HSBC Brasil — São Paulo
27 - Teatro Positivo — Curitiba
29 — Bar Opinião — Porto Alegre

ROUPA NOVA (veja minha opinião aqui)
27 — Shopping Sul — Cachoeiro do Itapemirim (ES)

PATO FU
27 e 28 — SESC Belenzinho — São Paulo

As apresentações da banda são a prova de que é possível fazer um som "bacaninha" e alegre com um frescor sonoro bem vindo. As composições são muito acima da média do que a gente ouve por aí na cena pop/rock nacional, a turma manda bem em cima do palco e a plateia sempre é receptiva às canções. Resumindo: show alto astral e competente, ainda mais porque vão tocar na íntegra o disco Gol de Quem?

JORGE BEN JOR (assista ao vídeo)
27 — Citibank Hall — Rio de Janeiro
28 — Casa Musique — Maceió

TURMA DO PAGODE (assista ao vídeo)
27 e 28 — Credicard Hall — São Paulo

MARTINHO DA VILA
28 — Vivo Rio — Rio de Janeiro

Que ele é um sambista de primeira grandeza, não qualquer dúvida, mas já faz tempo que os shows do malemolente Martinho carecem de algum tipo de novidade. Torça para que ele coloque em seu repertório uma quantidade maior de canções antigas e deixe de lado sua produção mais recente, que é muito inferior em termos de qualidade. De qualquer forma, é um show que deve ser assistido por aqueles que desejam saber a diferença entre samba e pagode.

CÉLIA
28 - SESC Santo André - Santo André (SP)

A veterana cantora sempre teve uma voz privilegiada, mas um péssimo gosto na hora de escolher seu repertório. Quem sabe agora, acompanhada apenas por um trio "piano-baixo-bateria" e incluindo em seu repertório algumas canções de Chico Buarque, Tom Jobim e Martinho da Vila a coisa melhore...

THE MAINE
28 — HSBC Brasil — São Paulo
29 — Circo Voador — Rio de Janeiro

Embora seja uma daquelas típicas bandas incensadas por adolescentes debilóides, este s garotos têm o mérito de escapar dos clichês sonoros juvenis ao apresentar algumas canções interessantes e por apresentar uma performance de palco honesta e bem executada na parte instrumental — tanto que vão aproveitar a ocasião no Brasil e gravar seu primeiro DVD oficial. O problema é que a histeria feminina da plateia não permite uma melhor apreciação das canções. Por isto, não é um show recomendado para gente adulta.

THE ASTEROIDS GALAXY TOUR (assista ao vídeo)
28 - Cine Joia — São Paulo

TONY TORNADO
28 - SESC São Caetano - São Caetano (SP)

Esqueça o ator de novelas. Para quem não sabe, ele foi um dos maiores nomes da cena black/soul/funk brasileira no início dos anos 70 e retorna agora aos palcos com a voz relativamente intacta, uma ótima banda de apoio — no caso, o grupo Funkessência, mais o seu filho Lincoln Tornado e a cantora Luana Jones - e várias canções muito legais, daquelas que você ouve hoje dia, mas não faz ideia que é do repertório dele, como "BR-3" e "Podes Crer Amizade". Vá lá prestar homenagem ao cara, pô...

EMMERSON NOGUEIRA
28 — Chevrolet Hall — Belo Horizonte

É difícil acreditar que alguém saia de casa para assistir a um show em que um cantor/violonista sem o menor carisma apresente um típico repertório "pseudoclassic rock" de barzinho sem a menor ousadia nos arranjos e muito menos sem qualquer traço de criatividade até mesmo em suas interpretações. É o caso de pensar se determinadas plateias realmente não têm o menor senso crítico ou se Emerson é um gênio maquiavélico que hipnotiza as pessoas para que estas sirvam de cobaias para experimentos sônicos que ninguém ainda entendeu quais são. Sou mais a primeira hipótese.

AT THE GATES
29 - Hangar 110 - São Paulo

Se você não tem a menor ideia de como o death metal pode soar bem de modo melódico, muito além de algo que possa ser chamado de "barulheira" por parte de gente que não manja nada do estilo, então este show é recomendadíssimo. Esta banda sueca manda muito bem em cima do palco e tem um repertório com canções bem acima da média. Não deixe de ver!

ÍNDIO CACHOEIRA
29 - SESC São Carlos - São Carlos (SP)

Aqui está uma oportunidade única de você presenciar a verdadeira música sertaneja "de raiz" — e instrumental — da melhor qualidade. Este habilidoso violeiro simplesmente arrasa na hora de apresentar uma série de modas de viola, todas tocadas com uma destreza que vai deixar até mesmo os mais preconceituosos de queixo caído. Imperdível para quem se interessa por este tipo de música!

JOTA QUEST (veja minha opinião aqui)
28 — Praça Pádua Sales — Amparo (SP)
31 — praça pública — Tremembé (SP)