Scott Weiland morreu. Não me surpreendo...

r-tadeu

Finalmente aconteceu. Até que demorou muito, já que ele viveu o tempo inteiro alternando poucos instantes de sobriedade e MUITOS dias de total descontrole à base de quantidades mastodônticas de álcool, pó e heroína. Ontem, a “montanha russa” chegou ao fim.

Scott Weiland foi encontrado morto às três da manhã de hoje, dentro do ônibus utilizado na turnê que ele vinha fazendo com a banda Wildabouts, com quem tinha lançado um bom disco este ano, Blaster. E tava na cara que as coisas não andavam bem para ele. Veja na apresentação abaixo que o cara iria passar para outra dimensão muito em breve. Repare nos olhos dele. Já não havia mais vida ali dentro:

Ele ouviu centenas dos mesmos ultimatos em todos os projetos musicais que esteve envolvido: “ou você fica sóbrio ou será demitido”. Foi assim nos grupos Stone Temple Pilots e no Velvet Revolver. O primeiro se cansou de vez e botou o também atormentado vocalista do Linkin Park, Chester Bennington, no lugar de Weiland. O segundo morreu pela inacreditável incapacidade de Slash e Duff McKagan em escolher um substituto para ele.

Nem tenho muito o que escrever a respeito de um fato absolutamente previsível. Todo mundo que acompanhou a carreira do cara sabia que era uma questão de tempo. Fica apenas a lição – sem qualquer traço moralista, pelo amor de Deus! – de que você precisa pensar muito bem antes de se envolver com certas substâncias. Ao contrário do que pensa a maioria dos futuros viciados, não dá para sair quando quiser…