Quanto custa comer nos melhores restaurantes do Brasil?

Bruna Schiavo

Nove restaurantes brasileiros estão entre os cinquenta melhores da América Latina, de acordo com eleição promovida pela revista inglesa Restaurant, que realiza anualmente o "Oscar da gastronomia".

Eleito o melhor restaurante brasileiro, o paulistano D.O.M. foi contemplado com a segunda colocação no ranking geral, que considerou estabelecimentos de 29 países latino-americanos — entre os cem melhores do mundo, o restaurante de Alex Atala ocupa a sexta posição. O primeiro lugar ficou para o peruano Astrid y Gastón, do chef Gastón Acurio, proprietário da rede La Mar, com filial em Saõ Paulo.

Conheça abaixo o nosso G9 e saiba quando custa a refeição em cada um deles:

D.O.M. (Brasil)


À frente da cozinha, Alex Atala demonstra um refinamento extraordinário em suas receitas. O sofisticado menu degustação surge em quatro (R$ 357,00) ou oito (R$ 495,00) tempos mais um aligot (espécie de purê de batata com queijos gruyère e minas padrão) e sobremesa. Para os vegetarianos, prepara uma versão à base de vegetais (R$ 242,00). No almoço de segunda a sexta, serve uma espécie de prato feito (R$ 82,00) composto de salada verde, arroz branco, feijões roxinho e preto, batata sautée, couve refogada com bacon, banana à milanesa e farofa mais uma carne a escolha do cliente (saint-peter, filé de frango ou escalope de filé-mignon). Os pratos à la carte incluem o filhote ao tucupi mais tapioca (R$ 163,00) e o nhoque com rabada (R$ 170,00). O couvert do jantar sai por R$ 38,00 por pessoa.

Preço por pessoa: Acima de R$ 175,00

Maní (Brasil)


O trabalho apurado dos chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo fez com que o restaurante que comandam juntos no Jardim Paulistano saltasse da 51ª para a 46ª posição no ranking mundial da Restaurant. Em ambiente agradável e despojado, sem deixar de ser elegante, eles preparam o atum levemente grelhado com quinoa, chutney de amora e espuma de gengibre e shissô (R$ 72,00) e o talharim de palmito pupunha ao molho de parmesão e azeite de trufas brancas (R$ 59,00). O couvert custa R$ 16,00, no almoço, e R$ 19,00, no jantar. O menu degustação (R$ 320,00) é servido apenas durante a noite, para todos os integrantes da mesa. Uma versão mais simples desta sequência sai por R$ 168,00.

Preço por pessoa: De R$ 106,00 a R$ 175,00

Roberta Sudbrack (RJ)

Em abril, o restaurante carioca foi contemplado com a 80ª posição no ranking mundial da revista inglesa Restaurant. Em nível de América Latina, a cozinha da chef Roberta Sudbrack está entre as dez mais prestigiadas. Para provar suas criações, é preciso optar entre três menus degustação, com três (R$ 195,00 por pessoa), cinco (R$ 260,00) ou nove (R$ 330,00) pratos. A casa só abre para o almoço às sextas, quando serve uma refeição em três etapas por R$ 120,00.

Preço por pessoa: Acima de R$ 175,00

Mocotó (SP)

O restaurante de cozinha nordestina está localizado na Vila Medeiros (ZN), fora do eixo gastronômico tradicional, e tornou-se um dos endereços mais disputados da cidade. Gente dos quatro cantos da capital enfrenta longas filas para provar as delícias brasileiras preparadas pelo competente chef Rodrigo Oliveira e sua equipe. Diferente das outras casas, aqui não há um menu degustação. Provam-se bons pratos à la carte (e muitos deles podem ser divididos) como a carne-de-sol artesanal na brasa, servida com manteiga de garrafa, alho assado, pimenta-biquinho e chips de mandioca (R$ 36,90) na companhia do baião-de-dois (R$ 24,90 o médio).

Preço por pessoa: Até R$ 70,00

Fasano (SP)


É referência em luxo e alta gastronomia na capital paulista. O italiano Luca Gozzani comando a cozinha do restaurante. Ele propõe um menu degustação em cinco etapas (R$ 290,00) que também ganha uma versão à base de peixes. O couvert (pães, grissini, manteiga, patê de atum e antepasto do dia mais petits fours) custa R$ 29,00 por pessoa. O preço dos pratos à la carte variam de R$ 99,00, caso das massas como o raviolini de pato com laranja, a R$ 250,00, valor das patas de king crab cozidas no vapor.

Preço por pessoa: Acima de R$ 175,00

Attimo (SP)


Em salão moderno, o chef Jefferson Rueda aposta em uma culinária ítalo-caipira. Sua infância no interior de São Paulo aparece refletida em pratos criativos como o nhoque de batata-doce roxa com orelha de porco, espinafre e vinagre balsâmico envelhecido (R$ 43,00) e a galinha cozida lentamente e servida com polenta cremosa (R$ 52,00). O couvert, farto e surpreendrente, inclui pães artesanais, manteiga de azeite, tomate moqueado, speck italiano, pururuca e canja de galinha com miniarroz (R$ 12,80). O menu degustação, chamado de caminhos e fronteiras, custa R$ 220,00 por pessoa é deve ser reservado previamente.

Preço por pessoa: De R$ 106,00 a R$ 175,00

Olympe (RJ)

Reaberto em março depois de uma reforma, foi eleito o melhor restaurante do Rio de Janeiro pelo especial “Comer Beber” de VEJA RIO. Além deste título, a casa mais sofisticada do chef e apresentador Claude Troisgros levou ainda o de melhor francês da cidade pela sexta vez. Ao lado do filho e atualchef de cozinha, Thomas Troigros, ele elabora um menu degustação em cinco etapas (R$ 260,00 por pessoa) e uma versão vegetariana (R$ 230,00). Os preços dos pratos principais pedidos à la carte variam de R$ 88,00, caso do peito de frango em cubos de pão crocante com mix de cogumelos, a R$ 125,00, valor do cordeiro com cogumelo shiitake, batata crisp e queijo grana padano. O couvert sai por R$ 14,00.

Preço por pessoa: Acima de R$ 175,00

Remanso do Bosque (BE)


Localizado em frente ao Jardim Botânico de Belém, no Pará, o restaurante dos irmãos Thiago e Felipe Castanho foi eleito o melhor da cidade pelo especial “Comer Beber”. Ali, a dupla de chefs recupera a culinária amazônica em receitas com toques modernos. São exemplos a pancetta de porco assado, servida com molho de rapadura e ladeada por batata ao alecrim, couve e pirão de leite (R$ 46,00) e o filé de filhote grelhado, guarnecido de macaxeira na manteiga e salada de feijão-manteiguinha (R$ 109,00, para duas pessoas). Apenas no jantar, oferecem um menu degustação composto de oito etapas (R$ 140,00 por pessoa). O couvert sai por R$ 10,00.

Preço por pessoa: De R$ 71,00 a R$ 105,00

Epice (SP)


O chef Alberto Landgraf comanda um restaurante pequenino, mas cheio de predicados. Ele mostra seu talento em pratos como o pé de porco com musseline de foie gras, cogumelo cep, picles de cenoura e lentilhas (R$ 75,00) e a paleta de cordeiro mais batata-doce, pera verde, iogurte e zimbro tostado (R$ 81,00). Sempre no jantar, serve um atraente menu degustação (R$ 225,00 por pessoa) com treze receitas salgadas e duas doces. O almoço executivo está entre os mais atraentes da cidade. Por R$ 45,00, provam-se uma entrada, um prato principal e uma sobremesa mais água (com ou sem gás) à vontade e o couvert, que, pedido à la carte, custaria R$ 15,00.

Preço por pessoa: De R$ 106,00 a R$ 175,00

Fonte: Veja Sp.