Racistas querem boicotar novo 'Star Wars: O Despertar da Força' por causa de personagem negro

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)


Após a Disney divulgar o novo trailer do filme “Star Wars: O Despertar da Força”,  nesta segunda-feira (19), muitas pessoas ficaram ainda mais empolgadas com o lançamento do novo capítulo da série. Entretanto, uma parcela dos espectadores chocou internautas ao propor um boicote ao filme, acusando-o de promover o genocídio de brancos.

No terceiro trailer do filme, que tem estreia prevista para o dia 17 de dezembro, a direção revela de que lado está o personagem Finn, interpretado pelo ator negro John Boyega. Diante da importância do papel, grupos racistas inundaram as redes sociais com mensagens ofensivas.



“Star Wars terá agora propaganda contra brancos”. “Cada vez mais ativismo anti-brancos nas telas do mundo”. “Se Star Wars não quer brancos nos seus filmes, não terá nosso dinheiro” , dizem alguns dos tweets criados com a hashtag #BoycottStarWarsVII.



Rapidamente internautas rebateram as mensagens com fatos que comprovam que a saga não possui características racistas. O maior argumento utilizado pelos fãs da saga é de que o criador da história, George Lucas, é casado com uma negra.

Além disso, personagens como Mace Windu, interpretado pelo ator Samuel L. Jackson, e Lando Calrissian, vivido por Billy Dee Williams, tiveram papeis de destaque nos filmes anteriores e não receberam críticas racistas.


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos