Cérebro humano é “programado” para crer

charles_nisz

Segundo pesquisadores do National Health Institute (Instituto Nacional de Saúde) dos EUA realizaram um estudo polêmico: de acordo com a pesquisa, o cérebro humano nasce programado para acreditar em algum tipo de deus. Ou seja, a fé não uma obra divina ou escolha pessoal, é uma tendência biológica.

Leia também:
Jesus foi uma ficção criada pelos romanos, diz teólogo americano

A ideia desagrada aos ateus e também aos crentes, mas foi comprovada pelo estudo do NHI. Ao monitorar o cérebro de pessoas religiosas, os cientistas descobriram que, ao pensar em deus, eles ativam os mesmos neurônios usados para criar empatia com outras pessoas. Sem essa habilidade, não haveria sociedade, apenas um ajuntamento de psicopatas, dizem os pesquisadores.

Quando surgiram as primeiras sociedades complexas e maiores adensamentos populacionais, quem era mais crente - e mais sociável - tinha mais chances de sobreviver. Acreditar no sobrenatural "está nos nossos genes" (isso explica também porque gostamos de teorias da conspiração).

"Se um grupo de crianças fosse deixado numa ilha deserta, elas acabariam se tornando religiosas", afirma o psicólogo Justin Barrett, da Universidade de Oxford. Desde 2010, ele investiga porque alguns creem em deus e outros não. Barrett explica que nascemos crendo e só depois de muito tempo nos tornamos céticos. Você acredita nessa pesquisa? (vi na SuperInteressante)