Durante estudo, cientistas matam animal de 507 anos

charles_nisz

Durante uma pesquisa científica, pesquisadores mataram um molusco de 507 anos. Ming era um molusco bivalve islandês, cujo nome científico é Arctica islandica. O animal foi descoberto em 2006 e os cientistas então supunham que ele tivesse 406 anos de idade. Isso já bastaria para ele entrar para o Livro dos Recordes como a mais antiga criatura viva.

Leia também:
Cientistas criam chocolate que não engorda

Após analisarem o molusco, os pesquisadores concluíram que ele tinha 507 anos. Ou seja, era recém-nascido quando Cabral aportou no Brasil. Ming morreu porque os cientistas abriram o molusco para estudá-lo com mais detalhes e precisar sua idade com maior exatidão, segundo informa o site da Info.

O longo ciclo de vida do animal é explicado por seu metabolismo lento, com baixo consumo de oxigênio. Fazendo uma analogia, é como se Ming vivesse em câmera lenta. Agora, o molusco será utilizado para pesquisar os efeitos das mudanças climáticas nos últimos 500 anos. Que trapalhada, hein?