Felicidade depende mais dos genes do que das nossas experiências

Charles Nisz
Charles Nisz
31 de julho de 2012

Uma pergunta sempre inquietou a humanidade: ser feliz depende mais das experiências que vivemos ou das nossas predisposições genéticas? Segundo uma pesquisa feita na Universidade de Edimburgo, na Escócia, nossa felicidade tem mais a ver com os genes do que com o ambiente.

Os cientistas analisaram 837 pares de irmãos gêmeos. Cada par de gêmeos havia sido criado na mesma casa, pelos mesmos pais, e por isso teve experiências parecidas na vida. Metade dos gêmeos estudados era univitelina, ou seja, com DNA idêntico ao do irmão, e a outra era bivitelina, ou seja, com DNA diferente.

Para  comparar a influência do DNA sobre as pessoas, os pesquisados responderam questionários sobre bem-estar psicológico, autonomia e relacionamentos. Os gêmeos com DNA igual tiveram pontuação mais próxima que os bivitelinos. Ou seja, o DNA influencia mais que o ambiente na felicidade.

Segundo o psicólogo Timothy Bates, autor do estudo, "os efeitos do ambiente não foram preponderantes". Resumindo: cada um de nós tem um nível natural de felicidade e bem-estar. (vi na SuperInteressante)