Jogo no Facebook permite que padre mate gays

charles_nisz

Um jogo feito para o Facebook está causando controvérsias na ex-república soviética da Geórgia (na região do Cáucaso) e também na rede social. No jogo "Call of Taburetka", você assume o papel de um padre ortodoxo e pode matar gays. Kakha Giorgashvili, criador do jogo, garante não ser homofóbico.

Leia também:
Marco Feliciano: A AIDS é o câncer gay

Segundo esta reportagem do site norte-americano Huffington Post, a ideia de Giorgashvili era recriar um incidente ocorrido em Tbilisi, capital da Geórgia, no dia 17 de maio. Um grupo de ativistas antigays, liderados por padres ortodoxos, atacou homossexuais durante uma marcha. Na ocasião, 17 pessoas ficaram feridas.

Em resposta aos críticos do jogo, Giorgashvili respondeu em seu perfil no Facebook: "Queridos amigos, esse jogo não é antigay. Ele apenas descreve os fatos ocorridos no último dia 17".

No entanto, grupos de defesa de direitos dos gays não gostaram da explicação e replicaram: "O jogo é tremendamente homofóbico. Não se trata de um episódio de homofobia casual", afirmou Sal Mattos, do site "Gay Gamer". Quem tem razão: o criador do jogo ou os ativistas gays?