O navio que afundou não foi o Titanic

Charles Nisz
Charles Nisz

Há 100 anos, o Titanic afundava nas águas do Atlântico Norte e entrava para a história como o naufrágio mais famoso de todos os tempos. Nem esse acidente escapa das famosas teorias conspiratórias.

Segundo o livro Titanic: The Ship that Never Sank (Titanic: o Navio que Nunca Afundou), do britânico Robin Gardiner, o navio da companhia Star Line que afundou foi o Olympic. De acordo com Gardiner, a empresa trocou os nomes dos navios e forçou o afundamento do Olympic, que havia colidido com o cruzador HMS Hawke em setembro de 1911 e tinha sérias avarias após o acidente.

O Olympic não tinha seguro. A ideia era trocar os navios, simular um acidente, resgatar os passageiros e receber a indenização pelo Titanic. Uma das evidências é que o milionário J.P. Morgan, um dos donos da Star Line desistiu de embarcar no Titanic em cima da hora. Outro indício é que nenhuma obra de arte da empresa foi embarcada no luxuoso transatlântico.

De acordo com a teoria defendida por Gardiner, o capitão recebeu dinheiro para jogar o navio contra um iceberg. Mas o plano fracassou porque o acidente aconteceu um dia antes do esperado. Segundo o autor, o Titanic bateu contra um dos navios enviados pela Star Line para o resgate: o navio estava com as luzes apagadas para não levantar suspeitas e não foi visto pela tripulação do Titanic.

Além disso, outra trapalhada teria causado a morte de tantos passageiros: como haveria o resgate, o Titanic levava muitos botes e coletes salva-vidas a menos do que o necessário. (vi na @SuperInteressante)