Para driblar crise, cidade grega usa moeda alternativa ao euro

Charles Nisz

Desde 2011, a Grécia vem sofrendo com a crise econômica. A economia do país não consegue crescer e as medidas de austeridade impostas pelo governo geraram enormes protestos nas ruas da capital Atenas. O desemprego supera os 30% e o país já pediu mais de 100 bilhões de euros emprestados à União Européia para saldar as dívidas.

A cidade de Volos achou uma maneira de driblar a crise: uma moeda alternativa ao euro. O TEM foi uma unidade criada para intermediar as trocas entre os moradores da cidade e é usado em paralelo à moeda oficial da UE.

Organizado via Internet, o sistema foi criado por Yiannis Grigoriou - ele passa os dias supervisionando as transações e saldos da "moeda" local. O sistema surgiu porque muitas pessoas não conseguiram comprar produtos usando euros por conta dos altos preços.

Além de compras, muitos usam a cotação do TEM para trocar serviços. Ou seja, sem a intermediação monetária. A situação não deixa de ter um quê de irônica: para fugir dos problemas causados pelas sofisticação financeira, os gregos resolveram apelar para o escambo, a forma de comércio mais primitiva (vi no @Estadão)