Retina artificial devolve visão à camundongo cego

Charles Nisz
Charles Nisz15 de agosto de 2012

Dois cientistas do Weill Cornell Medical College mapearam o código neural da retina de um rato e acoplaram essas informações numa prótese de retina artificial e com isso, conseguiram restaurar a visão de um rato cego. A pesquisa foi publicada na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

Os pesquisadores também mapearam a retina de um macaco - muito similar às dos seres humanos. Sinal que algo parecido pode ser feito no futuro com a retina humana. É um enorme avanço nas pesquisas contra a cegueira. Em todo o mundo, cerca de 25 milhões de pessoas são cegas por conta de problemas na retina.

As próteses atuais permitem que os usuários percebam nuances de luz e transitem pelos ambientes. A ideia do novo dsipositivo é restaurar a visão por completo. Segundo Sheila Nirenberg, chefe da pesquisa, "no futuro, os cegos usaurão um visor como o utilizado no seriado Star Trek" (foto). A luz recebida pelo visor será transformada em imagem por um chip de computador e então será enviada ao cérebro.

A visão ocorre quando a luz chega aos fotorreceptores da retina. Esses sinais são convertidos em impulsos neurais e, então, são enviados ao cérebro. O cérebro decodifica esses impulsos e traduz isso em imagens. A cegueira é causada por doenças que "matam" os fotorreceptores e destroem os circuitos associados.

O segredo para o sucesso da nova prótese é justamente "entender" como a retina manda as imagens para o cérebro. Para isso, eles usaram equações matemáticas para transformar a recepção de luz em impulsos neurais compreensíveis ao cérebro. (vi na Science Daily)