Blogueiro bolsonarista Allan dos Santos é condenado por calúnia contra cineasta

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos foi condenado, nesta quarta-feira, por calúnia contra a cineasta a Estela Renner pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Atualmente foragido da Justiça brasileira, Allan dos Santos atribuiu à mulher o estímulo ao uso de drogas por crianças, após a diretora de cinema ter defendido a exposição Queermuseum, que aconteceu em Porto Alegre no ano de 2017.

Bloqueios determinados por Alexandre de Moraes: Allan dos Santos aciona novamente STF para tentar desbloquear contas bancárias

'Se visse, apertaria a mão': Bolsonaro diz que não viu Allan dos Santos durante viagem aos EUA

O blogueiro, que na época do fato morava em Bento Gonçalves (RS), foi condenado a 1 ano e 7 meses de detenção em regime inicial aberto. A decisão da Câmara Criminal foi unânime, com voto favorável dos três desembargadores, segundo documento obtido pelo GLOBO.

"Mas, enfim, voltando. Está aqui ó: Maria Farinha Filmes, Estela Renner, Catraquinha. Não estou brincando. Vai lá no site do Instituto Alana e veja com seus próprios olhos: projeto do Catraca Livre para criancinha! Esses filhos da puta que ficam querendo colocar maconha na boca dos jovens. (...) Tudo isso aqui é o que está por trás do Santander Cultural, quando eles fazem zoofilia, pedofilia", disse Allan dos Santos, durante uma transmissão online do programa Terça Livre, no dia 12 de setembro de 2017, segundo a decisão.

Ainda de acordo com a decisão assinada pelo desembargador Jayme Weingartner Neto, o blogueiro ainda afirmou que Estela seria financiada por "meios obscuros".

Vídeo: Polícia do MS investiga 'palhaço do mal' que assustou moradores de cidade

"Neste contexto, belicoso, rude, grosseiro, pontuado por palavras de calão, em si injuriosas, dizeres embaralhados, tenho que o querelado insinua, ao menos, que a querelante, (...), em projetos culturais voltados à infância, estaria induzindo ou instigando [o público alvo] ao uso indevido de droga", diz a decisão.

A exposição Queermuseum aconteceu em 2017 e trazia uma curadoria de obras de arte ligadas a temática LGBTQ+. Na época, o evento foi alvo de ataques de grupos conservadores.

Allan dos Santos havia sido absolvido em primeira instância, pela 2ª Vara Criminal de Bento Gonçalves. Estela Renner, então, recorreu da decisão. Em setembro de 2021, em outro processo, o blogueiro foi condenado pela 8ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo a indenizar a cineasta em R$ 20 mil reais pelo episódio.

Em 2021, Allan dos Santos teve a sua prisão preventiva decretada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. O blogueiro é considerado foragido da Justiça brasileira e reside nesse momento nos Estados Unidos. Ele também é alvo de dois inquéritos que investigam um esquema de divulgação de informações falsas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos