Blogueiro ucraniano pró-Rússia Anatolii Sharii é preso na Espanha

Una furgoneta de la Policía Nacional española abandona un tribunal el 22 de agosto de 2017 en el centro de Madrid (AFP/Gabriel Bouys) (Gabriel Bouys)

Acusado por Kiev de "alta traição", o blogueiro ucraniano pró-russo Anatolii Sharii, famoso em seu país, foi preso na quarta-feira no noroeste da Espanha, informou a polícia espanhola nesta quinta-feira.

"Ele foi preso na [província de] Tarragona por membros da Polícia Nacional, em virtude de um mandado de prisão internacional", disseram fontes policiais à AFP.

Depois de comparecer nesta quinta perante o Tribunal Nacional de Madrid, Sharii foi libertado "provisoriamente", sob controle judicial, informou a corte. O blogueiro entregou seu passaporte, não pode sair do território espanhol e deve comparecer duas vezes por mês ao tribunal.

As autoridades ucranianas, que descrevem Sharii como um "propagandista", exigem sua extradição por "crimes de alta traição e incitação ao ódio", segundo o Tribunal Nacional.

Anatolii Sharii tem quase três milhões de seguidores em sua conta do YouTube e também tem uma página de informações chamada sharij.net.

O blogueiro começou sua carreira como jornalista investigativo na Ucrânia, o que o tornou alvo de ameaças. Em julho de 2011, agressores não identificados abriram fogo contra um carro que o transportava em Kiev.

Em 2012, deixou a Ucrânia por medo de um processo judicial que classificou como farsa. Recebeu asilo político na Lituânia, revogado em 2021.

Com visões cada vez mais pró-russas desde 2014, Anatolii Sharii criticou o movimento Maidan - que permitiu que um governo pró-ocidental chegasse ao poder em Kiev - e a guerra contra os separatistas pró-russos na região de Donbass, que começou naquele ano .

Em 2019, Sharii criou uma formação política com seu próprio nome, o "Partido do Sharii", que conquistou 2,2% dos votos nas eleições legislativas. Embora não tenha obtido deputados no Parlamento, conseguiu cargos em várias entidades locais no ano seguinte.

A formação foi proibida em março pelo Conselho de Segurança ucraniano, como outros partidos considerados pró-russos, após a invasão da Ucrânia.

mig-pop/rs/al/mb/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos