Bloqueado por Anitta, Bolsonaro provoca Leonardo DiCaprio nas redes sociais

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro rebateu o ator Leonardo DiCaprio, nesta sexta-feira, pelo Twitter, e afirmou que é “muito importante ter todos os eleitores brasileiros votando” nas próximas eleições. Bolsonaro agradeceu “o apoio” do ator e aproveitou a oportunidade para criticar também o Supremo Tribunal Federal (STF). Mais cedo, DiCaprio pediu para que todos os jovens brasileiros tirassem o título de eleitor afirmando que a “votação entre jovens é chave em motivar mudanças por um planeta saudável".

— Obrigado pelo apoio, Léo! É muito importante ter todos os brasileiros votando nas próximas eleições. Nosso povo decidirá se quer manter nossa soberania na Amazônia ou ser governado por bandidos que servem a interesses especiais estrangeiros. Bom trabalho no “O Regresso” — escreveu o presidente em referência ao filme que deu a primeira estatueta do Oscar ao ator. À época, DiCaprio virou meme nas redes sociais por ter sido indicado ao prêmio diversas vezes sem vencer nenhuma delas.

Bolsonaro aproveitou para resgatar uma postagem antiga do ator onde alertava sobre as queimadas na Amazônia. DiCaprio já teve embates com o governo federal por conta da política ambiental e costuma comentar com frequência sobre a importância da preservação da Amazônia.

O presidente disse que a foto compartilhada pelo ator na época era, na verdade, de 2003 e aproveitou para criticar o Supremo Tribunal Federal (STF) afirmando que “tem gente querendo prender brasileiros que cometem esse tipo de erro aqui em nosso país”.

— Aliás, a foto que você postou para falar sobre as queimadas na Amazônia em 2019 é de 2003. Tem gente querendo prender brasileiros que cometem esse tipo de erro aqui em nosso país. Mas sou contra essa ideia tirânica. Então eu te perdoo. Abraços do Brasil!

A foto usada pelo ator foi feita pelo fotojornalista da National Geographic Loren McIntyre, que morreu em 2003, nos EUA, e já foi usada por líderes como Emmanuel Macron, presidente da França, para também criticar as políticas ambientais do governo brasileiro.

Bolsonaro fazia referência ao inquérito das fake news, comandado pelo ministro da Corte Alexandre de Moraes. Há nos bastidores uma discussão sobre a possibilidade de encerramento do inquérito para amenizar a crise do STF com o Palácio do Planalto. Moraes, no entanto, disse nesta sexta-feira que não pretende arquivar o inquérito e que está chegando aos financiadores das notícias falsas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos