Bloqueio de rodovias coloca produção de mais de 1 milhão de doses de vacina da gripe em risco

***FOTO DE ARQUIVO*** VOLTA REDONDA, RJ, 31.10.2022 - Caminhoneiros parados colocam fogo em madeira no km 263, próximo da cidade de Volta Redonda, no sentido São Paulo. Os caminhoneiros fazem bloqueio total da rodovia. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** VOLTA REDONDA, RJ, 31.10.2022 - Caminhoneiros parados colocam fogo em madeira no km 263, próximo da cidade de Volta Redonda, no sentido São Paulo. Os caminhoneiros fazem bloqueio total da rodovia. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO,SP (FOLHAPRESS) - O bloqueio de estradas por bolsonaristas que protestam contra a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições pode causar prejuízos na produção de 1,5 milhão de doses de vacina contra a influenza pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

Uma carga com 520 mil ovos utilizados para a produção de vacinas contra o vírus H3N2, que causa a gripe, se encontra retida em meio à paralisação de caminhoneiros na altura da cidade de Jundiaí, no interior paulista.

Se a entrega não for concluída até o final da manhã desta terça-feira (1º), diz o instituto, toda a produção pode ser impactada.

O Instituto Butantan fornece ao Ministério da Saúde, anualmente, 80 milhões de doses de vacina contra a influenza, que são distribuídas por todo o país.

Até a noite de segunda-feira (31), foram mais de 300 bloqueios em estradas de 25 estados e no Distrito Federal. Os manifestantes pedem um golpe.

Na Grande São Paulo, há pontos de bloqueio nas rodovias Anhanguera, Bandeirantes, Castello Branco e Raposo Tavares.

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes decidiu nesta terça-feira que as polícias militares podem atuar na desobstrução de rodovias bloqueadas "independentemente do lugar em que ocorram", inclusive em rodovias federais.

"As polícias militares dos estados possuem plenas atribuições constitucionais e legais para atuar em face desses ilícitos, independentemente do lugar em que ocorram, seja em espaços públicos e rodovias federais, estaduais ou municipais", diz o ministro na decisão.

As PMs, afirma, devem adotar "as medidas necessárias e suficientes, a critério das autoridades responsáveis dos Poderes Executivos Estaduais, para a imediata desobstrução de todas as vias públicas que, ilicitamente, estejam com seu trânsito interrompido."

Foram intimados os governadores dos estados e do Distrito Federal, além dos comandantes-gerais das PMs e procuradores-gerais de Justiça dos Ministérios Públicos estaduais.

Na segunda, Moraes já havia determinado que o governo adote imediatamente "todas as medidas necessárias e suficientes" para desobstruir as rodovias ocupadas por bolsonaristas em protesto pelo resultado das eleições.

Como mostrou a coluna, a omissão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que não estava atuando para desbloquear as estradas, reforça a certeza de que o presidente Jair Bolsonaro (PL) está estimulando os protestos e ganhando tempo, com seu silêncio, para ver se eles se avolumam.