Bloqueios golpistas perdem força no Nordeste, reduto de Lula

RECIFE, PE (FOLHAPRESS) - As manifestações golpistas de bolsonaristas nas estradas federais perderam musculatura no Nordeste ao longo das últimas horas. Nesta quarta-feira (2), há registro de apenas dois bloqueios em rodovias da região, no Maranhão e em Pernambuco.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) tem atuado para desmobilizar as manifestações, que contam com a participação de grupos bolsonaristas contrários à vitória do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Desde a noite de domingo (30), há bloqueios em estradas federais em diversas regiões do país. No início da tarde desta terça, havia atos em 14 estados.

O Nordeste é reduto político de Lula. No segundo turno, ele obteve 69,34% dos votos da região, contra 30,66% do atual presidente Jair Bolsonaro (PL).

A situação da região contrasta com a de Santa Catarina, estado em que Bolsonaro teve ampla vantagem sobre Lula nas eleições e que lidera em número de bloqueios (eram 38 na tarde desta terça).

Em Pernambuco, há apenas um bloqueio parcial na BR-104, em Taquaritinga do Norte. Há manifestação no Recife (PE), nas proximidades do Comando Militar do Nordeste, na BR-232, mas sem interdições. Os participantes proferem gritos contra o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e Lula.

A PRF desmobilizou o bloqueio total que havia pela manhã na BR-423, em Garanhuns (PE), terra natal do presidente eleito. Outras duas interdições parciais foram encerradas em Bezerros (PE) e em Caruaru (PE).

No Maranhão, há interdições apenas na BR-010, em Açailândia, a 562 km de São Luís. Veículos trafegam pelo acostamento, já que os manifestantes colocaram pneus na pista.

Os bloqueios têm afetado a entrega de alimentos e mercadorias na região do Vale do Pindaré (MA). O abastecimento de frutas e verduras, por exemplo, está parcialmente comprometido em Santa Inês (MA), a 250 km da capital maranhense.

Na Bahia, havia um bloqueio total da BR-101, na altura do km 506, em Itabuna, mas atualização mais recente da PRF mostra que não há mais interdições no estado.

Na capital, Salvador, há ato contra o resultado da eleição presidencial na Avenida Paralela, uma das principais da capital baiana, na região do 6º Batalhão de Polícia do Exército, no Imbuí.

Em Fortaleza (CE), não há bloqueios em rodovias, apenas um ato que acontece em frente ao Comando da 10ª Região Militar. Os participantes pediram a prisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes e se dizem contrários ao comunismo.

Em Maceió (AL), também sem bloqueios em estradas, há uma manifestação golpista que interdita parcialmente a Avenida Fernandes Lima, uma das principais da cidade. O município foi a única capital do Nordeste em que Bolsonaro teve mais votos do que Lula nos dois turnos da eleição. Não há registro de bloqueios em rodovias do estado.

O governador reeleito de Alagoas, Paulo Dantas (MDB), determinou, na noite da terça, que a Polícia Militar desbloqueie vias interditadas.

"Determinei às forças policiais do nosso Estado que garantam o desbloqueio de todas as vias, assim como decidiu o STF. Desde cedo, optamos pelo diálogo com todos, mas seremos firmes em exigir o respeito à Constituição do Brasil e à nossa democracia", escreveu Paulo no Twitter.

No entanto, até o início da tarde, os atos seguiam e as viaturas da Polícia Militar estavam no local apenas acompanhando a manifestação.