Bloqueios podem causar falta de combustíveis em SP a partir de amanhã

Bloqueios podem causar falta de combustíveis em São Paulo a partir de amanhã. Foto: REUTERS/Pilar Olivares.
Bloqueios podem causar falta de combustíveis em São Paulo a partir de amanhã. Foto: REUTERS/Pilar Olivares.
  • Bloqueios: distribuidoras comunicaram à ANP os estoques de combustíveis estão baixos;

  • Se interdição continuar, a circulação de derivados de petróleo pode ficar comprometida;

  • De acordo com um monitoramento feito pela ANP, a Vibra Energia tem mais de 600 caminhões tanque retidos em 100 pontos do Brasil.

Distribuidoras comunicaram à Agência Nacional do Petróleo (ANP) que, em São Paulo, os estoques de combustíveis estão baixos. Segundo as empresas, se a interdição de rodovias continuar, a circulação de derivados de petróleo poderá ficar comprometida a partir de amanhã.

Dados da Polícia Rodoviária Federal informam que haviam 309 manifestações em curso às 9h30 da manhã, destas, 160 com interdição total das rodovias e 128 com interdição parcial. De acordo com um monitoramento feito pela ANP, a Vibra Energia, antiga BR Distribuidora, tem mais de 600 caminhões tanque retidos em 100 pontos do Brasil. A Vibra é responsável pelo fornecimento de combustível para a frota municipal de ônibus da cidade de São Paulo.

A agência foi comunicada através da empresa que há risco de desabastecimento ainda nesta terça-feira. Além da frota de ônibus em São Paulo, os aeroportos de Congonhas e Viracopos também são abastecidos pela companhia.

Um bloqueio feito por carros também impacta a base da Vibra em Barueri. Existem registros de bloqueio no porto Paranaguá, no Paraná, e nos estados do Rio de Grande do Sul e Santa Catarina.

O Ministério das Minas e Energia avaliou, na noite de ontem, que ainda não se pode falar em risco sistémico, contudo, a situação pode se agravar com a continuidade dos bloqueios.

Entraram, nesta terça-feira (1º), no 2º dia as paralisações feitas nas rodovias por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL), que protestam contra os resultados das urnas, com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o mandatário para a presidência da República no último domingo (30).

Os protestos começaram ainda na madrugada desta segunda-feira (31), horas depois de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter divulgado o resultado da apuração.

Balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) desta manhã indicava 271 pontos com vias obstruídas.