BNDES tem lucro de R$ 8,7 bilhões no terceiro trimestre

Sérgio Matsuura
·2 minuto de leitura
Lucas Tavares | Agência O Globo
Lucas Tavares | Agência O Globo

RIO - O BNDES registrou lucro líquido de R$ 8,73 bilhões no terceiro trimestre, contra R$ 2,7 bilhões no mesmo período de 2019. O bom resultado foi impulsionado pela venda em bloco de ações da Vale, que contribuiu com R$ 4 bilhões líquidos para o caixa do banco de fomento. Entre janeiro e setembro, o lucro acumulado é de R$ 13,7 bilhões.

— Foi um trimestre onde o BNDES performou bem, teve ação efetiva anticíclica, apoiando as pequenas e médias empresas. Tivemos também destaque relevante na retomada dos nossos desinvestimentos, e o banco de serviços começou a mostrar a sua cara com resultados concretos — afirmou ontem o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, durante a apresentação dos resultados.

Ao ser perguntado se o BNDES terá condições de retomar as devoluções antecipadas de R$ 100 bilhões ao Tesouro, suspensas neste ano por causa da pandemia, Montezano afirmou que, no momento, o foco do banco continua nas ações contra a crise provocada pela pandemia.

— O que a gente planeja de cronograma de trabalho é ter um número apenas no ano que vem. A partir de janeiro, a gente vem com a pauta de quanto será devolvido — afirmou Montezano. — Uma vez superado o período de calamidade, a gente vai sentar com o Tesouro, com a Economia, com o nosso Conselho, para discutir quanto seria a devolução efetiva.

Apoio a pequenas empresas

O executivo destacou as ações do BNDES no enfrentamento da pandemia, principalmente no apoio a micro, pequenas e médias empresas, que no terceiro trimestre conseguiram destravar o acesso ao crédito graças a garantias dadas pelo governo. O desembolso para este segmento, que ficou em torno de R$ 550 milhões mensais entre fevereiro e junho, subiu para R$ 674 milhões em setembro.

Até o dia 9 deste mês, as medidas emergenciais para combate à crise provocada pela pandemia totalizaram R$ 136,6 bilhões e beneficiaram 267 mil empresas, que empregam 8,8 milhões de trabalhadores. O destaque foi o Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac), que ofereceu garantias ao financiamento para 96 mil pequenas e médias empresas, totalizando créditos de R$ 81 bilhões.

— Essa linha, que inicialmente era para atravessar a crise, hoje funciona para a retomada, mostrando-se eficiente para as empresas retomarem o capital de giro — afirmou Montezano, descartando, porém, a extensão dos programas para 2021.