Bogotá reabrirá escolas e universidades ante redução dos casos de Covid

·1 minuto de leitura
(Arquivo) A prefeita de Bogotá cumprimenta um menino durante festa de Natal de famílias de migrantes venezuelanos

A prefeita de Bogotá, Claudia López, anunciou nesta terça-feira a retomada das aulas presenciais em jardins de infância, escolas e universidades neste mês, após a redução do número de casos do novo coronavírus na capital colombiana.

"Ninguém em Bogotá pagou um preço tão alto nesta pandemia quanto as crianças e jovens, que tiveram que sacrificar por muitos meses seus parques, locais de lazer e a socialização com colegas e professores", declarou Claudia em entrevista coletiva.

Bogotá, com 8 milhões de habitantes, é o principal foco de contágio na Colômbia e concentra quase 30% do total de casos de Covid-19 no país. Mas nos últimos dias, "todas as tendências apontam para baixo", assinalou a prefeita, pedindo que não se baixe a guarda e afirmando que o ensino presencial será "gradual e seguro".

As aulas foram retomadas este ano em algumas instituições de ensino de 10 dos 32 departamentos colombianos. O sindicato dos professores, Fecode, é contra o retorno às escolas, alegando que "cada colégio aberto durante a pandemia representa uma população em risco."

A Colômbia, com 50 milhões de habitantes, é o segundo país com mais casos de Covid (2.100.000) na América Latina e terceiro em número de mortos (54.500).

lv/lda/lb