Bolívia exige de visitantes estrangeiros seguro médico e quarentena de 10 dias

·1 minuto de leitura
O ministro das Relações Exteriores da Bolívia, Rogelio Mayta, e o ministro da Saúde, Jeyson Auza, após a chegada de um carregamento de 228 mil doses da vacina AstraZeneca-Oxford pelo mecanismo Covax, em uma base militar em El Alto, em 21 de março de 2021

A Bolívia reforçou nesta sexta-feira as medidas sanitárias contra a pandemia, ao exigir dos visitantes estrangeiros que cumpram uma quarentena de 10 dias e tenham um seguro médico que cubra gastos com a Covid-19.

"Os passageiros que não tiverem residência permanente na Bolívia terão que contar com um seguro que cubra os gastos do seu tratamento", anunciou a Direção Geral de Aeronáutica Civil (DGAC). Também terão que cumprir um "isolamento de pelo menos 10 dias, após a entrada em território boliviano", além de assinar "uma declaração juramentada" sobre o local de residência no país.

Após a quarentena, o estrangeiro será obrigado a apresentar um certificado de saúde determinando se ele tem ou não o vírus. Cidadãos bolivianos que retornarem ao país também deverão se isolar por 10 dias.

A Bolívia ordenou ontem o fechamento preventivo de sua fronteira com o Brasil por uma semana, para proteger sua população de variantes da covid-19. Segundo o presidente Luis Arce, nos municípios bolivianos fronteiriços onde for verificada a circulação da variante do Brasil, será feito o "encapsulamento" ou quarentena, "estabelecendo controles para a sua mitigação, pelo tempo que for necessário".

A Bolívia, com 11,5 milhões de habitentes, soma mais de 270 mil casos de Covid-19.

jac/yo/lb