Bolívia perdeu o segundo maior lago do país

Onde antes repousava um imenso lago, resta agora terra seca a perder de vista. O lago Poopó era o segundo maior da Bolívia, logo a seguir ao famoso Titicaca.

Os nossos pais acreditavam que o lago ia existir para sempre. E não foi o que aconteceu.

Chegou a atingir 3500 quilómetros quadrados, duas vezes a área metropolitana de Londres. Para trás ficaram vestígios da atividade piscatória da comunidade Uru, conhecida como "o povo da água".

"Os Uru ficaram assim, sem território. Confiávamos no lago. Os nossos pais acreditavam que o lago ia existir para sempre. E não foi o que aconteceu. De repente, tudo secou e ficámos sem trabalho. Ficámos órfãos, sem uma fonte de rendimento. Para onde é que vamos agora? Onde é que podemos trabalhar?", pergunta Luis Valero, líder espiritual Uru.

Neste planalto boliviano, 3700 metros acima do nível do mar, vivem agora apenas sete famílias.

Calcula-se que em toda a região sobrem cerca de 600 membros da comunidade indígena Uru, que remonta a milhares de anos no Peru e na Bolívia.