Bolívia recebe seu primeiro lote de 20 mil vacinas russas Sputnik V

·2 minuto de leitura
Funcionários carregam uma caixa com um lote de vacinas Sputnik V no Aeroporto Internacional El Alto, em La Paz, em 28 de janeiro de 2021

A Bolívia recebeu seu primeiro lote de 20 mil vacinas russas Sputnik V nesta quinta-feira (28) para imunizar os profissionais de saúde que estão na linha de frente da luta contra a covid-19, informou o governo.

Um avião boliviano recolheu o material, descarregado no mesmo dia em Buenos Aires por outra aeronave, argentina, que fez o transporte de Moscou, informou o governo do presidente Luis Arce.

O presidente participou do ato para receber as vacinas no aeroporto da cidade de El Alto, que serve La Paz, na tarde desta quinta-feira.

Quatro caixas do Centro Nacional Gamaleya da Rússia foram descarregados e depois transferidos para um centro de saúde estadual onde será definida a distribuição.

Arce entrou no avião boliviano e supervisionou de perto a transferência das vacinas. Ele também recebeu explicações do pessoal técnico sobre como os insumos de inoculação devem ser mantidos a pelo menos -8 °C.

“A vacina é uma solução estrutural para o problema, é altamente eficaz no controle do vírus”, frisou o presidente.

O porta-voz presidencial, Jorge Richter, disse que "a partir de sexta-feira será realizada a distribuição às regiões".

As 20 mil vacinas fazem parte de um lote maior de 5,2 milhões que a Bolívia comprou da Rússia no final de dezembro. O restante chegará a partir de março para vacinações massivas, gratuitas e voluntárias para maiores de 18 anos.

O país também comprou outras 5 milhões de doses do Serum Institute of India (SII), que fabrica o imunizante do laboratório britânico AstraZeneca e da Universidade de Oxford.

O Executivo não especificou quanto pagou por cada injeção, embora tenha dito que o preço está abaixo de 10 dólares por unidade.

A Bolívia também terá acesso a um terceiro lote de 5 milhões de vacinas AstraZeneca/Oxford por meio do dispositivo Covax, lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Cada boliviano deve receber duas doses.

Até o momento, a covid-19 infectou mais de 208.070 pessoas e deixou mais de 10.160 mortos na Bolívia, país com 11,5 milhões de habitantes.

jac/yow/ic/mvv