Bolívia registra 21 mortes por H1N1 em 2016

Na Tailândia, país obcecado com a cor da pele, uma clínica reconhecida por sua experiência em serviços de branqueamento propõe há vários meses intervir com suas técnicas na tonalidade dos pênis por um preço de 520 euros (650 dólares) por cinco sessões com laser

A morte de nove pessoas nas últimas duas semanas pela gripe Influenza A (H1N1) na Bolívia aumentou o balanço de vítimas para 21, segundo o relatório oficial da Direção Nacional de Epidemiologia, enquanto uma cidade declarou emergência sanitária.

"São 21 os casos de pessoas falecidas" até o momento, disse à AFP a Direção Nacional de Epidemiologia.

De acordo com o Serviço de Saúde de La Paz, a vítima mais recente é uma menina com cardiopatia que não tinha sido vacinada contra a H1N1.

As baixas temperaturas em todo o país motivaram o aumento de casos nas duas últimas semanas. O relatório anterior, de 15 de junho, apontava 12 mortos pela Influenza.

O município de Santa Cruz (leste), o mais populoso do país, declarou "emergência sanitária" após terem sido registradas nove mortes na cidade. Com a emergência, o tratamento de todas as pessoas infectadas pelo vírus será gratuito, e mais profissionais de saúde serão mobilizados para a vacinação.

Em 2014, sete pessoas morreram, devido à doença na Bolívia, apontam dados oficiais.

No Brasil, a H1N1 já causou a morte de 1.003 pessoas desde o início do ano, e foram registrados 5.214 casos de contágio, segundo um boletim epidemiológico divulgado na última quarta-feira (22) pelo Ministério da Saúde.