Bolívia registra caso de rubéola depois de 16 anos

A Bolívia registrou um caso de rubéola depois de 16 anos, informaram autoridades de saúde ao anunciar uma campanha massiva de vacinação a partir de agosto, nesta sexta-feira (29).

"Depois de uma série de exames  (...) foi confirmado como positivo o caso de rubéola em uma paciente de 31 anos", informou Luis Suárez, dirigente do departamento amazônico de Beni (nordeste).

Segundo Suárez, a paciente está grávida e o rastreamento de seus contatos está sendo realizado, já que o vírus é transmitido através de espirros, tosse ou contato com superfícies contaminadas.

O caso foi registado em Trinidad, capital de Beni, com cerca de 166.200 habitantes.

Suárez anunciou "uma campanha massiva de vacinação" de 10 de agosto até o final do mês.

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) declarou a Bolívia livre de rubéola em 2015, depois do último caso registrado em 2006.

Em novembro de 2021, a organização alertou que todo o continente americano corria um "alto risco" de surtos de doenças evitáveis como poliomielite, rubéola e sarampo.

A Opas fez o alerta devido à falta de vacinação de rotina pela pandemia de covid-19.

A Bolívia, com uma população de 11,5 milhões de habitantes, acumula desde o início da pandemia mais de um milhão de contágios e mais de 22 mil mortos.

O país enfrenta o pico de uma nova onda de infecções com uma média de mais de seis mil doentes por dia.

jac/ll/jc/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos