Bolsa argentina desaba 9,73% com realização de lucros

O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires, na Argentina, registrou queda de 9,73%, para 235.372,41 pontos, o que analistas atribuíram à realização de lucros após o anúncio do governo de uma recompra de títulos da dívida em dólares.

O mercado negociou durante a sessão um total de 9,84 bilhões de pesos (5,1 milhões de dólares), sem altas, e a baixa mais pronunciada foi a do banco Supervielle (-13,33%).

Antes da abertura do mercado, o ministro da Economia, Sergio Massa, anunciou que o governo argentino vai recomprar títulos públicos avaliados em 1 bilhão de dólares, no total, para melhorar o perfil da dívida soberana.

Após o anúncio, os títulos globais - entre eles os com vencimento em 2029 e 2030 - aumentaram até 8% em Wall Street. Por sua vez, o risco país, medido pelo JP Morgan, que avalia a probabilidade de falta de pagamento da dívida e que já tinha chegado a 1.000 pontos em 2022, caiu abaixo dos 1.800 pontos básicos.

A cotação do dólar paralelo (ilegal ou "blue") caiu para 377 pesos, enquanto a oficial subiu para 189,98 pesos, como parte do programa de pequenas desvalorizações diárias do Banco Central, conhecido como 'crawling peg'.

Em 2022, o índice Merval de empresas líderes rendeu 39% em dólares e 142% em pesos, acima dos 94,8% da inflação em 12 meses, dos 72,5% de alta da cotação oficial do dólar e dos 70% das taxas de juros em pesos.

Consultado pela AFP, o economista Pablo Tigani atribuiu o tombo a uma provável realização de lucros após um ano de 2022 em que o índice Merval "subiu de forma extravagante", uma tendência que continuou até esta quarta-feira, com alta de 28,6% em 2023.

A realização de lucros "é saudável e oportuna após as fortes altas acumuladas e, além disso, acompanhou o ambiente externo", disse o economista Gustavo Ber ao portal especializado Ámbito.

edm/ls/mr/mvv/rpr