Bolsa bate novo recorde intradiário, com pacote nos EUA e início de vacinação em vários países

O Globo*
·2 minuto de leitura

RIO — O Ibovespa abriu a sessão em alta, acompanhando o bom humor dos mercados externos, e renovou suas máximas intradiárias históricas. O índice chegou a bater 119.746 pontos, superando o pico registrado em janeiro.

Pouco depois de 10h20, a Bolsa perdeu um pouco o fôlego e avançava 0,47%, aos 119.688 pontos. Ainda assim, se fechar nesse patamar, vai superar o fechamento de 23 de janeiro (119.527 pontos), maior pontuação de 2020.

No mercado de câmbio, o dólar comercial cedia 0,90%, a R$ 5,1928, após forte alta na véspera.

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou na segunda-feira proposta dos democratas e defendida pelo presidente republicano Donald Trump para o pagamento de US$ 2 mil de auxílio para pessoas afetadas pela pandemia de Covid-19.

Trump havia sancionado o pacote de ajuda com valor de auxílio de R$ 600 no domingo, mas vinha defendedo aumentar o benefício, mesmo contrariando seu partido.

O projeto aprovado na Câmara, agora, segue para o Senado, onde a maioria é republicana. A Câmara, onde o aumento do auxílio foi aprovado por ampla maioria, é dominada pelos democratas.

A equipe da XP Investimentos ressaltou que o destino do pacote no Senado ainda é incerto por causa da oposição de muitos senadores republicanos.

“Os mercados seguem otimistas com a aprovação do pacote fiscal nos EUA e o início da vacinação contra a Covid-19, que traz de volta a expectativa de retomada mais rápida das atividades e recuperação das economias destes países”, afirmou a equipe da corretora Planner, em comentários a clientes.

Tóquio atinge maior pontuação desde 1991

A equipe da SulAmérica Investimentos avalia que a bolsa brasileira continuará sendo beneficiada por esse ambiente global.

Na Europa, a Bolsa de Londres operava em alta de 2,07%, a de Frankfurt subia 0,19% e a de Paris avançava 0,46%.

Com exceção do mercado chinês, as principais bolsas asiáticas fecharam em alta. Em Tóquio, o índice Nikkei avançou 2,66%, a 27.568 pontos, primeira vez que foi negociado acima de 27.000 pontos desde abril de 1991. A Bolsa de Hong Kong avançou 0,96% e a de Seul teve valorização de 0,42%.

Na China, os índices acionários fecharam em baixa, pressionados pelos papéis de materiais e energia, com os investidores realizando lucro após promessa de Pequim de mais suporte. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,42%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,54%.

* Com Valor e agências internacionais