Bolsa de NY fecha quase estável; Dow cai 0,6% no mês

A Bolsa de Nova York fechou perto da estabilidade nesta sexta-feira, após uma sessão bastante volátil em que os índices registraram pequenas variações. Ao longo dos últimos dias, o humor dos investidores oscilou em torno das notícias sobre as negociações para evitar o chamado "abismo fiscal" nos Estados Unidos - uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos programada para entrar em vigor no começo do ano que vem.

O índice Dow Jones ganhou 3,76 pontos (0,03%), fechando a 13.025,58 pontos. Na semana, o ganho foi de 0,12%, mas em novembro houve queda de 0,62%. Já o Nasdaq perdeu 1,79 ponto (0,06%) e terminou aos 3.010,24 pontos. No acumulado da semana, o índice ganhou 1,46%, o que deixou o resultado no mês positivo em 0,75%. E o S&P 500 registrou leve alta de 0,23 ponto (0,02%), fechando a 1.416,18 pontos. Na semana, o ganho foi de 0,50% e, no mês, houve alta de 0,30%.

Os indicadores divulgados mais cedo nos EUA não ajudaram a melhorar o sentimento dos investidores. O índice de atividade dos gerentes de compra (PMI) do setor industrial de Chicago, medido pelo Instituto para Gestão de Oferta (ISM), subiu para 50,4 em novembro, acima da previsão de 50,0. No entanto, os gastos com consumo caíram 0,2% em outubro, em relação a setembro, na primeira queda desde maio, e a renda pessoal ficou praticamente estável, abaixo da previsão de alta de 0,2%.

Em relação às negociações para evitar o "abismo fiscal", republicanos e democratas parecem longe de um acordo, após um início de semana promissor. Mais cedo, o presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner, disse que existe um impasse nas conversas com a Casa Branca. "Há um impasse, não vamos nos enganar. No momento, nós não estamos em lugar algum", afirmou. Ele cobrou que o presidente Barack Obama trabalhe com os dois partidos para encontrar um consenso e disse que os republicanos não estão tentando "impor" suas ideias.

Enquanto isso, a líder dos democratas na Câmara, Nancy Pelosi, ameaçou forçar uma votação no plenário da Casa de um projeto, já aprovado pelo Senado, para prorrogar cortes de impostos para contribuintes que ganham até US$ 250 mil por ano. Segundo ela, isso pode acontecer se os republicanos, que controlam a Câmara, não colocarem o projeto em votação até a próxima terça-feira.

Na Europa, o Parlamento da Alemanha aprovou, com ampla maioria, o novo plano de ajuda para a Grécia, que foi anunciado por autoridades europeias no começo desta semana, garantindo o apoio de um dos principais credores de Atenas à liberação de uma parcela de empréstimos de quase 44 bilhões de euros. No entanto, a crise grega ainda terá novos capítulos à frente, como a operação de recompra de dívida proposta pelo governo do país, cujos detalhes podem ser anunciados na segunda-feira (03).

No campo corporativo, o papel da empresa que desenvolve jogos virtuais Zynga perdeu 6,11%. O principal cliente da empresa é a rede social Facebook. Na véspera, as companhias anunciaram mudanças nos termos do contrato da parceria. Entre as alterações, o Facebook vai poder desenvolver seus próprios jogos. O papel da rede social avançou 2,42% nesta sessão.

Já as ações da Yum! Brands despencaram 9,92%, após a companhia, dona das marcas Taco Bell e KFC, fornecer uma projeção de crescimento para 2013 que ficou abaixo das previsões dos analistas, além de citar uma fragilidade recente nas vendas na China.

Entre as blue chips, os destaques de queda foram Citigroup, que perdeu 1,82%, e Occidental Petroleum, com desvalorização de 1,38%. No campo positivo, aparecem Walmart, com ganho de 1,68%, e Home Depot, que avançou 1,29%. As informações são da Dow Jones.

Carregando...

YAHOO NOTÍCIAS NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Notícias