Bolsa tem forte queda após Petrobras anunciar reajuste. Dólar vai a R$ 5,13

O mercado doméstico volta do feriado de Corpus Christi e se ajusta ao viés negativo para ativos de risco do exterior no pregão de ontem. A bolsa brasileira acentuou a queda após a Petrobras anunciar novo reajuste nos combustíveis nesta sexta-feira. Às 11h19, o Ibovespa cedia 3,27%, aos 99.445 pontos.

Já o dólar se ajusta em alta contra o real e a curva de juros ganha inclinação, na medida em que os temores de recessão devido ao aperto monetário nas economias avançadas pressionaram os mercados emergentes. Por volta de 11h13, a moeda americana era negociada a R$5,139, alta de 2,23% no mercado à vista.

Aversão a risco

Em relatório diário sobre o que esperar do movimento dos mercados, os profissionais do Banco do Brasil notam que, após o Federal Reserve (Fed) elevar os juros em 0,75 ponto percentual na quarta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) preparar os mercados para aumentos de juros e os bancos centrais da Inglaterra e da Suíça efetivamente aumentarem as taxas ontem, “cresce o temor de que a postura agressiva dos bancos centrais para conter a inflação tenha efeitos recessivos”.

Diante desse contexto, o “mood” de aversão a risco predominou nos negócios ontem, o que pressiona os ativos brasileiros na abertura do pregão de hoje, embora tanto o dólar quanto as taxas futuras já tenham se afastado das máximas, já que há um viés mais positivo nos negócios lá fora nesta sexta-feira. Os ruídos políticos em torno da expectativa para o reajuste dos preços dos combustíveis pela Petrobras, porém, adicionam cautela ao cenário doméstico.

Cabe apontar que a curva de juros tem um dia de “bull steepening”, ao ganhar inclinação após a decisão do Copom. Enquanto as taxas curtas operam em queda mais acentuada, as longas rondam os ajustes do dia anterior.

Wall Street abre dispersa em meio a indicadores fracos

A Bolsa de Nova York abriu com oscilações entre alta e baixa nesta sexta-feira, privada de uma recuperação devido a vários indicadores que confirmam a desaceleração da economia dos EUA.

No início do pregão, o Dow caiu 0,09%, o índice Nasdaq, dominado por tecnologia, subiu 0,68% e o índice S&P 500, mais amplo, subiu 0,27%.

Dados divulgados nesta sexta-feira pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano), mostram que o ritmo da produção industrial nos Estados Unidos desacelerou em maio mais do que o esperado ao subir 0,2% em relação a abril. Analistas esperavam um aumento de 0,5%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos