Bolsas caem pelo mundo com expectativa de aumento da taxa de juros nos Estados Unidos esta semana

Os temores de um forte aumento das taxas de juros nos Estados Unidos e de uma recessão afetam as Bolsas ao redor do mundo nesta segunda-feira, após a publicação na sexta-feira de dados da inflação americana mais elevados que o previsto.

Eletrobras: Novas ações da companhia estreiam hoje na Bolsa. Veja como dinheiro levantado pode aliviar conta de luz

Recuo: Renda per capita cai a R$ 1.353 e atinge menor valor em dez anos

Na pandemia: A cada 30 horas surge um bilionário no mundo, enquanto mais 1 milhão de pessoas entra na extrema pobreza

As Bolsas europeias iniciaram a semana com resultados negativos. No início desta manhã, Paris recuava 2,38%; Frankfurt caía 2,05% e Milão -2,14%, enquanto o índice de referência Eurostoxx 50 operava em queda de 2,40%.

Londres também registrava baixa de 1,55% após a publicação da queda de 0,3% do Produto Interno Bruto (PIB) britânico em abril, na sequência a um recuo de 0,1% no mês anterior.

Sob influência do Centrão: Susep freia inovações que poderiam baratear seguros

A inflação americana atingiu um novo recorde em maio, com 8,6% em ritmo anual, muito acima das expectativas dos analistas. O aumento do índice de preços ao consumidor voltou a acelerar no mês passado.

O resultado provocou uma forte queda na Bolsa de Nova York na sexta-feira: recuo de 2,73% para o Dow Jones e de 3,52% para a Nasdaq.

Mercado asiático e bitcoin recuam

Na Ásia, o movimento também foi de queda nesta segunda-feira. A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão baixa expressiva de 3,01% e o iene registrou a menor cotação em comparação com o dólar desde 1998.

Xangai registrou queda de 0,89% e Hong Kong recuou 3,07%.

Outra empresa de cripto em apuros: Celsius suspende saques. Bitcoin cai mais de 10%

O Comitê de Política Monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) se reunirá nestas terça-feira e quarta-feira. Os mercados já esperam um ajuste de 0,5 ponto percentual das taxas básicas de juros, depois de um aumento similar no mês passado.

Mas, diante do avanço da inflação, alguns analistas questionam se o Fed não aumentará ainda mais a pressão com um aumento de 0,75 ponto percentual da taxa de juros, um passo extremamente raro na história recente do banco central americano.

Depois do tombo: Como proteger seu patrimônio de criptoativos

Outro elemento que mostra o estado dos mercados nesta segunda-feira é a desvalorização do bitcoin, negociado abaixo de US$ 25 mil, a menor cotação em 18 meses, no momento em que os investidores evitam ativos de risco.

A criptomoeda mais popular do mundo registrava queda de de 10%, a US$ 24.692, nas negociações da manhã em Londres, um nível que não era observado desde dezembro de 2020.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos