'Bolsoagro patrocina a fome': grupo invade e picha sede da Aprosoja em Brasília; assista

·2 minuto de leitura
"Aprosoja é fome", escrevem os invasores. Foto: Reprodução
"Aprosoja é fome", escrevem os invasores. Foto: Reprodução
  • Grupo arrombou portão eletrônico

  • Eles espalharam cinzas e lixo

  • Grupo Via Campesina Brasil assumiu autoria

Na manhã desta quinta-feira (14), um grupo invadiu a sede da Associação Brasileira de Produtores de Soja (Aprosoja). Nas paredes, o grupo escreveu: "Bolsoagro patrocina a fome", em referência ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao agronegócio. 

De acordo com testemunhas, o portão eletrônico foi arrombado e os invasores picharam a frente do imóvel e jogaram carvão no gramado. Veja o momento no vídeo:

Além disso, eles picharam o interior da sede e espalharam lixo. A ação durou mais ou menos 20 minutos.

A Polícia Militar esteve no local, na QL 10 do Lago Sul, e o caso é investigado pela 10ª Delegacia de Polícia Civil.

A PMDF informou que uma funcionária da limpeza estava no local no momento do arrombamento e se trancou em uma sala. Ela relatou aos agentes que os invasores levavam bandeiras vermelhas e vestiam camisetas verdes.

Leia também:

O grupo Via Campesina Brasil assumiu a autoria do ato nas redes sociais, que, segundo a postagem, integra a Jornada Nacional de Soberania Alimentar que "denuncia o protagonismo que o Agronegócio cumpre no crescimento da fome, da miséria e no aumento do preço dos alimentos no Brasil".

Aumento da fome

A pandemia do coronavírus teve um efeito devastador sobre a segurança alimentar no Brasil, revelaram estudos da Rede Penssan e da Universidade Livre de Berlin publicados este ano.

No país, a fome atingiu 19,1 milhões de pessoas em 2020, parte de um contingente de 116,8 milhões de brasileiros que convivam com algum grau de insegurança alimentar — número que corresponde a 55,2% dos domicílios, segundo o Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, realizado pela Rede Penssan.

A insegurança alimentar abrange desde a alimentação de má qualidade, passando pela instabilidade no acesso a alimentos, até a fome propriamente dita.

O aumento no número de brasileiros passando fome, de 10,3 milhões em 2018, para 19,1 milhões em 2020, representa um crescimento de 85% em dois anos.

O resultado fez a Oxfam — organização internacional que atua no combate à pobreza, desigualdade e injustiça social — classificar o Brasil como um dos focos emergentes de fome no mundo, ao lado da Índia e da África do Sul.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos