Bolsonaldo, sósia do presidente que foi candidato a vereador pelo PCdoB, já votou em Lula e elogia o auxílio emergencial

Filipe Vidon
·2 minuto de leitura

Metalúrgico, ex-eleitor de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e candidato a vereador pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Difícil imaginar um perfil político tão diferente do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Mas foi por ser apontado como sósia do chefe do Palácio do Planalto que Enaldo Rodrigues, de 63 anos, virou personalidade em Marituba, no Pará. Ele, então, decidiu aproveitar a popularidade repentina e se candidatou a vereador, usando como nome de urna o apelido Bolsonaldo, mas recebeu apenas 40 votos e não conseguiu se eleger.

Bolsonaldo votou no ex-presidente Lula, que comandou o Brasil de 2003 a 2010, mas disse que “virou de lado depois que ele se desviou do caminho do bem”. Agora, o metalúrgico afirma estar satisfeito com a gestão de Bolsonaro e elogia o auxílio emergencial pago pelo governo federal a pessoas de baixa renda para compensar as perdas econômicas geradas pela pandemia de Covid-19.

Bolsonaldo se diz neutro (“Não é direita contra esquerda. Não é rico contra pobre. É a nação contra a corrupção”, postou na internet) e afirma que a escolha do partido se deu por ser amigo do candidato a prefeito pelo PCdoB, Jorge Santa Brígida, que também se deu mal nas urnas. Em entrevista ao EXTRA, o sósia repetiu a narrativa de Bolsonaro e levantou a hipótese de fraude ao comentar a derrota em sua estreia como candidato:

— Acredito que teve fraude sim, isso está em todo canto, fui fazer a conferência da minha votação mas deixei pra lá. Infelizmente, ainda acontece isso na nossa política. Não temos provas, mas acredito e suspeito que possa ter acontecido. O sistema de conferência parou e ninguém sabe — desconfia Bolsonaldo.

Morador de Marituba há 35 anos, Bolsonaldo ouviu de um amigo a sugestão de juntar o nome do presidente ao seu como apelido. Segundo ele, no início foi difícil se acostumar, mas logo passou a entender o carinho que recebia nas ruas, com brincadeiras, pedidos de fotos e abraços de crianças.