Bolsonarista Bia Kicis assumirá Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

Natália Portinari
·1 minuto de leitura
Arquivo O Globo

BRASÍLIA - Após um acordo no partido, a deputada federal bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF) deverá assumir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. A comissão é a mais importante da Casa, responsável por analisar a legalidade e constitucionalidade dos projetos. A parlamentar é investigada no Supremo Tribunal Federal (STF) no inquérito das fake news.

O acordo foi selado após a definição de que Luciano Bivar (PSL-PE), presidente do partido, deve ficar com a primeira secretaria, cargo na Mesa Diretora. A ideia é pacificar as duas alas do PSL, a de Bivar e a bolsonarista, rompidas desde 2019. Dentro desse arranjo, o líder do partido será Vitor Hugo (PSL-GO), ex-líder de governo de Jair Bolsonaro.

— Foi um acordo para selar a paz — disse Bia Kicis ao GLOBO.O PSL tinha direito à indicação na CCJ por ser o maior partido do maior bloco que concorreu nas eleições da Câmara em 2019. Felipe Francischini (PSL-PR) ficou à frente da comissão antes da pandemia, durante o mandato de Rodrigo Maia (DEM-RJ), pelo mesmo motivo.

Bia Kicis é investigada no Supremo Tribunal Federal (STF) pela disseminação de notícias falsas em redes sociais. Ela já compartilhou algumas vezes conteúdo enganoso sobre a pandemia da Covid-19 e prega contra o uso de máscaras e o distanciamento social.

A deputada comemorou a notícia de sua futura indicação à CCJ em sua conta de Twitter mais cedo neste terça-feira, dizendo que será uma "grande honra" presidir a comissão.