Bolsonarista não tinha bebido álcool antes de matar apoiador de Lula, diz polícia

Bolsonarista matou apoiador de Lula (SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
Bolsonarista matou apoiador de Lula (SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
  • Bolsonarista foi preso na última quinta-feira (8) por matar um apoiador de Lula em MT

  • A polícia afirmou que o criminoso não havia ingerido bebida alcoólica antes do crime

  • A vítima foi assassinada com golpes de faca e machado em uma fazenda

A Polícia Civil de Mato Grosso afirmou no início da tarde desta sexta-feira (9) que o bolsonarista responsável pelo assassinato de um apoiador de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não havia ingerido bebida alcoólica antes do crime.

A informação foi passada pelo delegado responsável pelo caso, Victor Oliveira, em entrevista à TV Centro América, afiliada da Globo na região.

O delegado Oliveira garantiu, ainda, que o clima em Confresa, cidade onde ocorreu o crime, é tranquilo e que esse foi apenas um "caso isolado".

O autor do assassinato foi preso pela polícia local na tarde da última quinta (8) e levado à delegacia para prestar depoimento. Ele deve ser transferido durante a tarde para um presídio em Porto Alegre do Norte, a 20 km de Confresa.

Entenda o crime

O apoiador de Jair Bolsonaro (PL) foi identificado como Rafael Silva de Oliveira, de 22 anos. Ele assassinou a facadas Bendito Cardoso dos Santos, de 44, após uma longa discussão sobre política.

Os dois trabalhavam juntos no corte de lenha de uma fazenda em Agrovila, zona rural de Confresa, quando deram início a uma briga na noite de quarta, 7 de setembro.

Ao que tudo indica, Rafael escondeu as armas e se dirigiu, a pé, a um hospital em Confresa, alegando ter sido vítima de uma tentativa de roubo. Ele tinha um corte na mão e outro na testa. Ao ser encaminhado a uma delegacia para prestar depoimento, confessou o crime. O suspeito foi preso em flagrante por homicídio qualificado, por motivo fútil e motivo cruel e teve a prisão em flagrante convertida para preventiva.

A versão apresentada pela Polícia aponta que as agressões começaram quando Bendito deu um soco no rosto de Rafael e, em seguida, pegou uma faca. O autor do crime partiu para cima do colega de trabalho e conseguiu recuperar o instrumento.

A vítima teria corrido, mas foi perseguida por Rafael, que conseguiu golpeá-la nas costas. Com Bendito caído no chão, o suspeito aproveitou para acertá-lo no olho, pescoço e testa. Segundo o delegado, o homem ainda não havia morrido, o que fez com que o autor do crime fosse até um barracão pegar um machado e o acertasse no pescoço do outro.

Os policiais encontraram a faca, o machado e outros elementos no local do crime.