Bolsonarista que gravou vídeo agradecendo policial legislativo na invasão ao Congresso é identificado entre os presos

O bolsonarista que gravou um vídeo dentro do Congresso Nacional agradecendo o apoio de um policial legislativo foi identificado como Leonardo Alves Fares, de 48 anos, um empresário do setor de cultura e esportes do Distrito Federal que consta na lista de presos divulgada pela Secretaria de Administração Penitenciária do DF (Seap-DF). No plenário do Senado Federal, ele filmou um agente ao lado de outros golpistas e disse ter pedido permissão para invadir a Casa Legislativa.

'Boiada chegando': Suspeito de financiar atos, empresário bolsonarista postou horas antes de invasão

Cartão corporativo: Veja os gastos de Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro desde 2003

— (O policial) pediu para entrar, fui e acompanhei ele até a porta. E ele disse: "Deixa eu só me identificar e mostrar que a gente está com vocês, a gente está do lado do povo" — afirmou Leonardo em vídeo.

Antes de ser preso por participar das invasões às sedes dos Três Poderes, Fares foi condenado pela Justiça do DF por fraude na contratação de artistas de um rodeio que ocorreu em 2011 na cidade satélite de Paranoá. O caso veio à tona seis anos depois, quando uma auditoria apontou um superfaturamento de R$ 97 mil. À época, Leonardo Alves Fares era sócio da empresa Tavares e Cia LTDA, que atuava promovendo eventos na capital e havia sido selecionada pela Secretaria de Estado de Cultura e pelas Administrações Regionais do Distrito Federal para auxiliar na organização.

Na Polícia Civil, ele coleciona passagens por violação de domicílio, desacato, estelionato e crimes de trânsito como direção perigosa, embriaguez ao volante, lesão corporal e atropelamento sem prestar socorro à vítima.

Procurada, a defesa de Leonardo Alves Fares não respondeu os contatos da reportagem. O espaço permanece em aberto para possíveis esclarecimentos.