Bolsonarista que negou marmita a eleitora de Lula recebeu Auxílio e é processado

Bolsonarista que negou marmita a eleitora de Lula recebeu R$ 5 mil de Auxílio  (Photo by RAFAEL MARTINS/AFP via Getty Images)
Bolsonarista que negou marmita a eleitora de Lula recebeu R$ 5 mil de Auxílio (Photo by RAFAEL MARTINS/AFP via Getty Images)

O apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL) que viralizou em vídeo humilhando uma diarista ao negar marmita a ela recebeu R$ 5 mil de Auxílio Emergencial e responde a processo na Justiça. Segundo o TJ-SP, Cassio Joel Cenali responde por distribuição de cheque sem fundo e por não pagar Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). As informações são do G1.

Os cheques sem fundo do empresário foram usados em compra de gado.

Já no caso do Auxílio Emergencial, o bolsonarista recebeu R$ 5.250,00, equivalente a 15 parcelas pagas pelo benefício durante os dois primeiros anos da pandemia da Covid-19.

As imagens viralizaram neste sábado (10). Cenali apareceu em um vídeo em que está entregando uma caixa de marmitas para uma mulher, mas diz que vai deixar de oferecer ajuda após ela afirmar que é apoiadora do Lula (PT).

Ele começa o vídeo dizendo que "essa é a campanha do Bolsonaro", mas muda de atitude. "A senhora é Bolsonaro ou Lula?", pergunta. Após a resposta, o bolsonarista afirma: "A partir de hoje não tem mais marmita. A senhora peça pro Lula, beleza? É a última marmita que vem pra senhora".

Em primeiro lugar, Lula está com 45%, mostra Datafolha

A pesquisa Datafolha divulgada na noite da última sexta-feira (9) apontou que ex-presidente Lula (PT) manteve a liderança da corrida à presidência da República, aparecendo com 45% das intenções de voto. Já o presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL), seu principal adversário, tem 34%. Ciro Gomes (PDT) possui 7%, enquanto Simone Tebet (MDB) apareceu com 5%.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)