Bolsonarista, Tarcísio ordena silêncio sobre crise em SP

***ARQUIVO*** SÃO PAULO/SP, BRASIL. 01.01.2023.  Governador chora ao falar da familia e esposa, Cristiane Freitas, durante a Posse do novo Governador Tarcisio de Freitas no Palacio dos Bandeirantes.(Foto. Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO/SP, BRASIL. 01.01.2023. Governador chora ao falar da familia e esposa, Cristiane Freitas, durante a Posse do novo Governador Tarcisio de Freitas no Palacio dos Bandeirantes.(Foto. Zanone Fraissat/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), determinou um silêncio em seu governo acerca dos distúrbios provocados por bolsonaristas em Brasília, onde ativistas contrários à posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) invadiram prédios dos três Poderes.

"Caros, todo e qualquer pedido de imprensa sobre a invasão ao congresso nacional para seus secretários e/ou representantes de empresas ou autarquias devem ser imediatamente enviadas e alinhadas com a Secom. Nada deverá ser respondido ou publicado em redes sociais sem o devido alinhamento", disse mensagem distribuída a membros do governo.

Secom, no caso, é a Secretaria de Comunicação do governo estadual. A crise é um problema para Tarcísio, apadrinhado de Jair Bolsonaro (PL), de quem foi ministro da Infraestrutura. Ele elegeu-se com o apoio dos bolsonaristas, tendo a mesma votação do ex-chefe, 55,2% dos válidos.

Ele tem tentado se afastar do que chama de bolsonarismo raiz, enquanto demonstra gratidão ao ex-presidente sempre que pode. A violação constitucional dos bolsonaristas golpistas em Brasília o coloca em uma posição desconfortável, daí a orientação de silêncio inicial.

Enquanto a confusão ocorre também na avenida Paulista, na capital, Tarcísio estava passando o fim de semana em Santa Catarina, segundo ao menos postagem do aliado Frederico D'Ávila no Twitter.

Ao menos um secretário estadual fez comentário em rede social sobre a ação terrorista. Gilberto Nascimento Jr. (PSC), da pasta de Desenvolvimento Social, postou por volta das 15h45 uma foto tirada pelos manifestantes próximos à rampa do Congresso Nacional. A postagem, no Instagram, incluía uma ilustração com a expressão "se liga". Na sequência, o secretário publicou vídeo preparando uma receita de bolo em casa com outra pessoa.

Questionado pela reportagem, Nascimento Jr. não explicou o sentido da publicação. Poucos minutos depois, fez nova postagem no Instagram, afirmando: "Uma coisa é a livre manifestação, outra coisa são casos de violência, repudio qualquer ato violento que possa acontecer… Triste as cenas que transformaram Brasília hoje [sic]".

Posteriormente, Nascimento Jr. disse à reportagem que fez a postagem "para deixar claro" seu posicionamento.

*

Colaborou Joelmir Tavares