Bolsonaristas barram alunos e professores da UFRJ em bloqueio no Rio

Bolsonaristas estão em bloqueios das estradas no país. Foto: REUTERS/Diego Vara
Bolsonaristas estão em bloqueios das estradas no país. Foto: REUTERS/Diego Vara

Bolsonaristas barraram um ônibus com professores e alunos do curso de geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro na cidade de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (31). Os profissionais e os acadêmicos denunciam que durante o bloqueio, os manifestantes hostilizaram os ocupantes do transporte ao perceber que se tratava de um ônibus à serviço da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

De acordo com eles, o grupo seguia para um trabalho de campo na cidade de Uberaba, em Minas Gerais, e chegaram a ter esperança de passar no bloqueio, quando os manifestantes liberaram ônibus e carros de passeio. Em seguida, foram barrados e hostilizados quando os protestantes viram o símbolo da instituição. Imagens da situação foram postadas nas redes sociais.

Um dos estudantes, em conversa com o portal G1, citou o clima de tensão durante a tentativa de passar pelo bloqueio. “Eles começaram a cercar o ônibus, passavam filmando, depois um homem começou a circular carregando um pau com uma bandeira, e fomos sentindo que o clima estava muito ruim”, disse o aluno que não quis ser identificado.

Ainda de acordo com o acadêmico, os professores que estavam conduzindo o trabalho de campo desceram e tentaram negociar a passagem do ônibus da universidade com os manifestantes e policiais, mas não tiveram sucesso.

Diante da situação, os professores decidiram retirar os mais de 30 alunos do local e levá-los para um hotel em segurança até que a liberação fosse conseguida.

“Os professores organizaram grupos para irem caminhando até um hotel. A gente deve ter caminhado uns seis ou sete quilômetros e, durante todo o trajeto, ia ouvindo gente gritar Bolsonaro para tentar hostilizar a gente”, conta o estudante.

O Diretor do Instituto de Geociências da UFRJ - IGEO, Edson Farias Mello, que informou que o departamento está ciente e intervindo na situação juntamente com a reitoria da universidade.

A Reitoria da UFRJ, em nota, confirmou a situação e lamentou a postura da Polícia Rodoviária Federal, que não "se esmerou" para que os estudantes fossem liberados e pudessem continuar a viagem.