Bolsonaristas criticam apoio de Joaquim Barbosa a Lula com vídeo fake

Joaquim Barbosa, former Chief Justice in Brazil, is seen before a meeting with PSB Election Commission in Brasilia, Brazil April 19, 2018. REUTERS/Ueslei Marcelino
Joaquim Barbosa, former Chief Justice in Brazil, is seen before a meeting with PSB Election Commission in Brasilia, Brazil April 19, 2018. REUTERS/Ueslei Marcelino

Após declarar voto em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para as eleições presidenciais, o ex-ministro Joaquim Barbosa vem sofrendo ataques por declarações de aliados de Jair Bolsonaro (PL). O ministro das Comunicações, o filho 01 do atual presidente e outros bolsonaristas fizeram postagens nas redes repercutindo o apoio a Lula e ironizando antigas ações de Barbosa.

“Abjeto” é roubar a educação, a saúde, a segurança e a esperança do povo brasileiro. Joaquim Barbosa dando atestado de idoneidade a Bolsonaro e denunciando o maior esquema de corrupção do Brasil operado pelo PT", escreveu Flávio Bolsonaro em sua conta no Twitter, junto de um vídeo de Barbosa na época em que compunha o Supremo Tribunal Federal.

O jurista aposentado, que foi relator do Mensalão em 2006, teve fala alterada em um vídeo postado nas redes sociais afirmando que Bolsonaro foi "o único que não se vendeu no Mensalão". O vídeo fake foi compartilhado pelo presidente em suas redes sociais em 2017, quando ainda era deputado.

Fábio Faria, atual ministro das Comunicações, compartilhou também o vídeo. "Já que o ex-ministro Joaquim Barbosa está em alta hoje, vamos relembrar o que ele falava sobre Bolsonaro quando estava no Supremo. Já que o tema corrupção e honestidade não está em alta na mídia, a gente relembra por aqui…", postou.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Ex-magistrado quer vitória de Lula no primeiro turno

Barbosa declarou voto em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para as eleições presidenciais deste ano. Em vídeo, ele criticou a gestão do atual presidente Jair Bolsonaro (PL). Barbosa foi relator do mensalão em 2006 e pediu prisão de aliados do Partido dos Trabalhadores.

"É preciso votar já em Lula no primeiro turno para encerrar essa eleição no próximo domingo", declarou o jurista. Barbosa recordou que, ainda em 2018, era contrário ao nome de Bolsonaro para governar o país.

"Em 2018, alertei os brasileiros de que Jair Bolsonaro seria uma péssima escolha para a presidência da República. Bolsonaro não é um homem sério, não serve para governar um país como o nosso. Não está a altura, não tem dignidade para ocupar um cargo dessa relevância", disse Barbosa.

Em tom de comemoração pelo apoio, o senador Randolfe Rodrigues (Rede) comentou a decisão de Barbosa no Twitter. "O ex-presidente do STF e grande jurista, @joaquimboficial, deu o recado: Vamos eleger LULA no primeiro turno e nos livrarmos de Bolsonaro", escreveu.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.