Bolsonaristas presos se recusaram a tomar diversas vacinas

Golpistas presos se recusaram a receber vacinas contra a Covid-19, hepatite B, tétano e a tríplice viral

Bolsonaristas presos por ataque às sedes dos Três Poderes se recusaram a tomar vacinas no presídio.(Foto: Mauro Pimentel/AFP)
Bolsonaristas presos por ataque às sedes dos Três Poderes se recusaram a tomar vacinas no presídio.(Foto: Mauro Pimentel/AFP)
  • Dos mais de 904 bolsonaristas presos na Papuda, apenas 134 teriam sido vacinados contra a Covid-19;

  • Desse número, alguns se recusaram a receber imunizantes contra doenças como a hepatite B e tetano;

  • Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seape-DF), a vacinação dos presos é opcional.

Alguns dos apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) que foram presos por participação no ataque às sedes dos Três Poderes, em Brasília, se recusaram a receber pelo menos quatro tipos de imunizantes.

Segundo detalhamento encaminhado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal à Justiça, dos 904 encaminhados ao Centro de Detenção Provisória II, na Papuda, apenas 134 foram vacinados entre os dias 9 e 11 de janeiro.

Destes, 64 se negaram a receber uma dose do imunizante contra a Covid-19 e outros 19 também não quiseram ser vacinados contra a hepatite B, tétano e tríplice viral. A informação foi divulgada pelo blog de Ancelmo Gois, do jornal O Globo.

A Secretária de Saúde ainda informou à Justiça do DF que a imunização dos presos tem ocorrido gradualmente, na medida em que o histórico individual do esquema vacinal deles é verificado.

Os extremistas foram presos após a sequência de atos terroristas promovidos em Brasília, no domingo (8), quando foram invadidos e depredados as sedes do Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal e Palácio do Planalto.

Ao todo, 1.418 pessoas foram presas em flagrante, mas alguma delas foram liberadas posteriormente.

Do total, 222 foram detidas na Praça dos Três Poderes e 1.196 no acampamento em frente ao Quartel-General do Exército, que foi desmobilizado durante operação da Polícia Militar e do Exército na segunda-feira (9).

Outras 684 pessoas, como idosos e mãe acompanhadas dos filhos, vão responder o processo em liberdade.

Todos que foram levados para o sistema penitenciário passaram por avaliação médica e exames, segundo informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seape-DF).

Os reclusos também recebem kit higiene, uniforme, colchões e quatro refeições diárias. Segundo a Seape, a vacinação é opcional.