Bolsonaristas silenciam sobre invasão do Congresso dos EUA por manifestantes pró-Trump

MARIANA CARNEIRO
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Normalmente bastante ativos nas redes sociais, parlamentares bolsonaristas ainda não se manifestaram sobre a invasão do Congresso dos Estados Unidos por apoiadores de Donald Trump. A ação dos manifestantes obrigou a Câmara e o Senado a trancarem suas portas e a paralisarem a sessão que deveria confirmar a vitória presidencial de Joe Biden. Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Daniel Silveira (PSL-RJ), Caroline De Toni (PSL-SC) e Filipe Barros (PSL-PR) não trataram do tema em suas redes sociais até o final da tarde desta quarta-feira (6). Alguns deles chegaram a tratar de outros temas, como um "tratoraço" organizado contra João Doria (PSDB-SP) no interior de SP, mas ignoraram os eventos norte-americanos. Alguns deles, como Silveira, vinham encampando a narrativa de que a eleição norte-americana havia sido fraudada para dar vitória a Biden. Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) está nos Estados Unidos e visitou a Casa Branca nesta terça (5), a convite de Ivanka Trump. Nesta quarta (6), não se manifestou. Ele é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) não se manifestaram. Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores, também silenciou. Abraham Weintraub, que mora nos Estados Unidos após ter sido indicado para cargo no Banco Mundial por Bolsonaro, comentou uma nomeação feita por Damares Alves, mas nada sobre a invasão do Congresso. Assessor para Assuntos Internacionais do governo Bolsonaro, Filipe Martins postou meme em que insinua que o brasileiro é triste por não acontecerem eventos como o desta quarta-feira (6) em Washington, mas nada escreveu.