Bolsonaristas tentam invadir Ministério da Saúde após ameaçar equipe de TV

·2 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 08.09.2021 - CAMINHONEIROS-DF: Caminhões bloqueiam a Esplanda dos Ministérios, em Brasília (DF), e pressionam por invasão para acesso ao STF (Supremo Tribunal Federal), nesta quarta-feira. (Foto: Vinicius Sassine/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 08.09.2021 - CAMINHONEIROS-DF: Caminhões bloqueiam a Esplanda dos Ministérios, em Brasília (DF), e pressionam por invasão para acesso ao STF (Supremo Tribunal Federal), nesta quarta-feira. (Foto: Vinicius Sassine/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Um grupo de apoiadores de Jair Bolsonaro tentou invadir a sede do Ministério da Saúde, em Brasília, na manhã desta quarta-feira (8). A ação ocorre no dia seguinte aos atos pró-governo e de raiz golpista promovidos pelo presidente no feriado do 7 de Setembro.

Segundo um integrante da pasta que acompanhou a confusão, os manifestantes cercaram e agrediram um homem que criticava o movimento e, na sequência, partiram para cima de equipes da imprensa. Os jornalistas e o homem buscaram abrigo no prédio do ministério.

​Os manifestantes hostilizaram e ameaçaram a equipe da TV Record. Um cinegrafista deixou a câmera para trás ao fugir do grupo. O equipamento foi devolvido na portaria da Saúde mais tarde, segundo um integrante da pasta.

Imagens divulgadas pelo portal Metrópoles mostram o grupo avançando sobre a porta e vidros do ministério. A entrada havia sido fechada às pressas com grades para evitar a invasão.

O servidor público aposentado Anamim Lopes Silva relatou nas redes sociais que foi agredido pelos bolsonaristas. Em vídeo, ele disse que discutiu com apoiadores e criticou o presidente. "Aí o piquete da morte veio pra cima de mim", afirmou Silva.

O Ministério da Saúde, em nota, confirmou a tentativa de invasão no edifício-sede da pasta. "A situação foi rapidamente contida pelos seguranças do prédio. Cabe esclarecer que não houve feridos."

Em falas diante de milhares de apoiadores nesta terça-feira (7) em Brasília e São Paulo, Bolsonaro fez ameaças golpistas contra o STF (Supremo Tribunal Federal), exortou desobediência a decisões da Justiça e disse que só sairá morto da Presidência da República.

Apesar de o ato em Brasília ter se dispersado após a fala de Bolsonaro, alguns apoiadores seguem acampados na Esplanada dos Ministérios no dia seguinte.

Há também caminhões e outros carros de manifestantes estacionados na região. Estes veículos invadiram a Esplanada na noite de segunda-feira (6), quando romperam o bloqueio da Polícia Militar.

As avenidas da Esplanada seguem fechadas para carros nesta quarta.

Algumas faixas de bolsonaristas levadas ao protesto de terça afirmavam que os grupos só deixariam Brasília após a destituição de ministros do STF.

Grupos de bolsonaristas também pressionam um bloqueio montado pela polícia em frente ao Itamaraty. Eles querem ter acesso à via que leva ao prédio do STF.

Procurada, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal não se manifestou até a publicação deste texto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos