Bolsonaro é criticado por ausência em tragédia baiana: 'curte férias como se nada ocorresse'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil

A ida do presidente Jair Bolsonaro (PL) para Santa Catarina, onde deve passar o Ano Novo, motivou revolta nas redes sociais e fez com que a hashtag #BolsonaroVagabundo chegasse aos Trending Topics do Twitter. Isso porque a viagem do mandatário aconteceu enquanto a Bahia é afetada por uma série de temporais, que já deixaram ao menos 20 mortos e mais de 470 mil pessoas afetadas. Segundo o estado, já mais de 31 mil desabrigados e 31 mil desalojados.

Até às 9h45, a hashtag já somava mais de 10,5 mil publicações. O deputado federal Nilto Tatto (PT-SP) foi um dos que usaram o tópico para criticar o presidente, que ainda não visitou o estado desde que os temporais se intensificaram no Bahia.

“Na Bahia, em Minas e Tocantins, a tragédia das enchentes. No Rio Grande do Sul, a seca inclemente. Em todo o Brasil Covid-19 segue ceifando vidas. E o Presidente da República, em férias, se dedica a combater as vacinas defender a liberação de armas”, escreveu o deputado.

O senador Fabiano Contarato (PT-ES) também criticou o presidente:

“A Bahia sofre uma emergência terrível enquanto o Presidente curte suas férias como se nada ocorresse. O Brasil não pode fechar os olhos a seus compatriotas nesse momento de dor e necessidade! Minha solidariedade ao povo baiano!”

Entre as postagens críticas a Bolsonaro, usuários compartilharam fotos que comparam o presidente pescando com imagens da enchente nos municípios baianos. Prints da agenda do mandatário, que mostram que não há nenhum compromisso oficial marcado para o dia, também foram compartilhados.

O tópico “Presidente da República” também se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter, reunindo ataques e defesas a Bolsonaro. O líder da minoria na Câmara, o deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ), também compartilhou uma foto do presidente em um momento de lazer ao lado de um vídeo que mostra um morador que teve sua casa atingida pelo temporal.

“O retrato de um país sem governo. Enquanto brasileiros morrem e perdem suas casas na Bahia, o presidente da República curte as férias em Santa Catarina como se nada estivesse acontecendo”, escreveu Freixo.

Já o presidente do Cidadania, Roberto Freire, chamou Bolsonaro de “marginal”:

“Jair Bolsonaro, como presidente da República, deveria estar liderando o socorro às famílias atingidas pelas enchentes na Bahia, mas está por aí, de férias, andando de Jet Ski. Encontrou tempo, entre uma folga e outra, pra tuitar sobre… armas. Em pleno Natal. O cara é um marginal”.

No momento que os dois tópicos estavam em alta na rede social, Bolsonaro fez uma publicação anunciando a medida provisória (MP) que destina R$ 200 milhões para o Ministério da Infraestrutura. O recurso deve ser usado para reconstruir rodovias danificadas por chuvas na Bahia, no Amazonas, em Minas Gerais, no Pará e em São Paulo.

“Determinei edição de MP de Crédito Extraordinário, no valor de R$ 200 milhões, a fim de viabilizar, no DNIT, a reconstrução de infraestruturas rodoviárias danificadas pelas chuvas nos estados da Bahia (mais afetado), Amazonas, Minas Gerais, Pará e São Paulo”, escreveu.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, também publicou que está a caminho da Bahia junto com os ministros Rogério Marinho, de Desenvolvimento Regional, e Marcelo Queiroga, da Saúde.

“A caminho de Ilhéus/BA na companhia dos ministros Rogério Marinho e Marcelo Queiroga, o secretário Marcelo Sampaio e médicos do SUS para atendimento às famílias afetadas pelas enchentes. Ministro João Roma Neto já está lá. Ordem do presidente Bolsonaro é de não deixar ninguém para trás”, escreveu Damares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos