'Bolsonaro é feio por fora e bonito por dentro', diz Crivella após coletiva no Riocentro

Luiz Ernesto Magalhães
Prefeito Marcelo Crivella no Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro

RIO — O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) evitou, nesta quarta-feira, a fazer críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação ao seu comportamento na condução da epidemia do coronavírus. Também nesta quarta, o presidente voltou a defender apenas o isolamento vertical das populações de risco (idosos e pessoas com comorbidades) em lugar da quarentena, ao contrário do que recomendam os especialistas. Em meio às polêmicas de Bolsonaro sobre o conteúdo da reunião de ministros no fim de abril, que gerou uma crise que acabou com a saída do ministro da Justiça, Sergio Moro, Crivella disse que esteticamente Bolsonaro é exatamente o inverso de um túmulo. Segundo o prefeito, Bolsonaro é "feio por fora e bonito por dentro" porque fala o que pensa. E citou uma passagem do Novo Testamento.

— Eu queria que você escrevesse a seguinte frase: Jesus disse, ao tratar das autoridades de sua época, que muitos eram como sepulcros calados. Bonitos por fora e feios por dentro. Eu acho o Bolsonaro o contrário. Feio por fora e bonito por dentro — disse o prefeito.

Essa não é a primeira vez que Crivella defende Bolsonaro citando a Bíblia. Em eventos anteriores, ao defender o presidente das polêmcias, o prefeito já comparou os pronunciamentos do presidente da República, "a um São João Batista pregando no deserto".

As declarações foram dadas no Riocentro, onde o prefeito voltou a defender o isolamento social, contrariando o que defende o aliado. Crivella lembrou que apesar do decreto de Bolsonaro, que considera academias de ginástica e salões de beleza e barbearias como serviços essenciais

— De acordo com a situação, os governadores e prefeitos podem tomar as decisões que acharem melhor. É um decreto interativo. No Brasil, temos cerca de 5,7 mil municípios, mas a grande maioria não registrou casos de Coronavírus — disse o prefeito.

Em outro contexto também nesta quarta-feira, falando sobre a abertura de mais vagas de UTI, com a importação de mais de 700 respiradores da China - dos quais 300 chegaram entre a noite terça-feira e esta quarta -, Crivella mencionou justamente a reabertura de salões e academias como essenciais:

— A medida em que leitos forem aumentando e as internações diminuindo vamos ter segurança de voltar a abrir (o comércio). Como academias e o setor de beleza que é uma das atividades mais importantes da cidade. São 220 salões fechados apenas em  Rio das Pedras. A economia que gira em torno da educação fisica no Rio empata com São Paulo: são 38 mil professores.

O Republicanos integra os partidos do Centrão que negocia vagas no governo em troca de apoio político. De olho no apoio do presidente em sua tentativa de reeleição, Crivella tem minimizado as polêmicas envolvendo o presidente. O senador Flávio Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro se filiaram inclusive ao Republicanos no mês passado. Mãe de Flávio e Carlos, a ex-vereadora Rogéria Bolsonaro (ex-mulher do presidente) também se filiou ao Republicanos e está cotada para ser candidata a vice na chapa de Crivella. No mês passado, Flávio Bolsonaro visitou, inclusive, as obras do hospital de campanha do Riocentro, quando anunciou a liberação de R$ 87 milhões para reforçar os gastos de Saúde no Rio.