'Vamos acabar com o cocô do Brasil', diz Bolsonaro em discurso no Piaui

Presidente cobrou o fim do "cocô no Brasil". (Foto: Carolina Antunes/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a criticar os governadores do Nordeste e manifestou a intenção de “acabar com o cocô do Brasil” se referindo, segundo ele, a “corruptos e comunistas”.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

O discurso foi feito na manhã desta quarta-feira (14) no Piauí, estado governado pelo petista Wellington Dias, para inauguração de uma escola do Sesc batizada com seu nome. Essa é a terceira vez que Bolsonaro cita “cocô” em falas públicas em menos de uma semana.

Leia também


“Alguns governadores estão querendo separar o Nordeste do Brasil. Vamos acabar com o cocô do Brasil. O cocô é essa raça de corruptos e comunistas. Nas próximas eleições vamos varrer essa turma vermelha do Brasil. Já que na Venezuela está bom, vou mandar essa cambada para lá. Quem quiser um pouco mais para o norte, vai até Cuba”, disse Bolsonaro, sendo aplaudido e saudado com gritos de “mito” em seguida.

O titular do Palácio do Planalto fez uma viagem ao Piauí nesta quarta-feira. A primeira parada foi em Parnaíba, a segunda cidade mais populosa do estado, para inaugurar uma escola militar. O discurso foi feito ao lado da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e do prefeito da cidade, Francisco de Moraes Souza, o Mão Santa (MDB). Ambos foram elogiados por Bolsonaro na ocasião.

COCÔ TRÊS VEZES

Na sexta-feira (9), o presidente sugeriu a uma repórter que “fizesse cocô dia sim, dia não” ao ser questionado se é possível o país preservar o meio ambiente e se desenvolver economicamente.

Já nesta segunda-feira (12), Bolsonaro disse que encontrar "cocozinho em índio" impede a realização de obras no País. “Há anos o terminal de contêiner do Paraná, se não me engano, não sai do papel porque precisa agora também de um laudo ambiental da Funai. O cara vai lá e se encontrar, já que tá na moda, um cocozinho petrificado em índio, já era, não pode fazer mais nada ali", afirmou.