Bolsonaro admite desmatamento e culpa países que compram madeira do Brasil

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta sexta-feira que há desmatamento e queimadas ilegais no Brasil, mas questionou a proporção dos dados divulgados, um dia após o próprio governo informar números recordes de desmatamento na Amazônia.

Na tradicional transmissão semanal ao vivo por meio de redes sociais, o presidente também responsabilizou a demanda internacional por madeira pelo desmatamento.

"Tem desmatamento ilegal, tem. É só os outros países não comprarem a madeira nossa", disse o presidente.

"Tem desmatameto ilegal, tem alguma queimada ilegal? Tem queimada ilegal, tem. Mas não é nessa proporção toda que dizem por aí. E nós combatemos isso. Agora, alguns falam, ah, tem que combater mais', você sabe o tamanho da Amazônia? Quantos países da Europa cabem na Amazônia?", questionou.

Bolsonaro também voltou a repetir a tese segundo a qual a floresta amazônica não pegaria fogo e disse que críticas à política ambiental propagadas no exterior prejudicam a imagem do país e o ambiente de negócios.

Na quinta-feira, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou que o desmatamento da Amazônia atingiu a marca de 13.235 quilômetros quadrados entre 1 de agosto de 2020 a 31 julho de 2021, alta de 21,97% na comparação anual com o mesmo período.

Os dados foram apurados pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) e divulgados em um documento no site do governo federal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos