Bolsonaro afirma que apenas uma pessoa atrapalhava seu relacionamento com o Parlamento

·1 minuto de leitura
Bolsonaro e Maia em cerimônia no Palácio do Planalto

BRASÍLIA (Reuters) - Em mais um ataque ao ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que o parlamentar era a causa das dificuldades que o governo tinha para aprovar projetos no Congresso e que ele, pessoalmente, torceu por Arthur Lira (PP-AL), para a presidência da Câmara, e para Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para o Senado.

"Temos diferença e alguns senões, mas acredito, em especial depois dessas eleições, que a começar de 1º de fevereiro o Parlamento deu sinais que quer trabalhar e não quer ficar refém de uma só pessoa", disse Bolsonaro em um evento em Florianópolis.

"Era uma só pessoa que criava alguns óbices para nós. Eu torci por eles, fui simpático a dois candidatos e os números provaram que a maioria do Parlamento quer também cada vez mais ter a liberdade para trabalhar pelo melhor para o nosso Brasil".

Bolsonaro voltou a dizer, ainda, que lamenta as mortes causadas pela Pandemia de Covid-19, mas que não pode tomar medidas que no futuro podem aumentar as mortes.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)