Bolsonaro afirma que passará por nova cirurgia para corrigir hérnia

·2 minuto de leitura
Jair Bolsonaro, então candidato à Presidência da República, após levar uma facada em um ato de campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais
Durante a campanha presidencial em 2018, Jair Bolsonaro levou uma facada em Juiz de Fora, Minas Gerais (Foto: REUTERS/Raysa Campos Leite)
  • Presidente Jair Bolsonaro deve passar por mais uma cirurgia em razão do atentado em Juiz de Fora

  • Durante a campanha presidencial, em 2018, ele foi atingido por uma facada

  • Bolsonaro confirmou cirurgia a apoiador no Palácio da Alvorada, na sexta (16)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que deve passar por mais uma cirurgia como consequência do atentado sofrido em setembro de 2018, quando era candidato à Presidência e foi atingido por uma facada, em Juiz de Fora (MG).

Na sexta-feira (16), questionado por um apoiador, Bolsonaro brincou com a necessidade de um novo procedimento.

Leia também

"Tu é muito curioso, hein, cara? Eu estou ficando meio barrigudo, acho que vai ser lipoaspiração. Pega mal, também, fazer lipo, botox, né? Mas talvez esse ano mais umazinha, mas é tranquila. Hérnia. Eu tenho uma tela aqui na frente, tá saindo o bucho pelo lado, então tem que botar uma tela do lado", afirmou.

Essa será a sétima cirurgia do presidente desde o atentado de setembro de 2018, embora nem todas elas tenham sido devido ao ataque sofrido pelo então candidato. A primeira cirurgia após a facada foi realizada no mesmo dia do atentado, em um hospital de Juiz de Fora. Dias depois, passou por uma nova cirurgia, em São Paulo, para desobstrução do intestino.

Após assumir a presidência, fez uma cirurgia para retirar a bolsa de colostomia. Em setembro de 2019, passou por uma cirurgia para retirada de uma hérnia na cicatriz de uma das operações anteriores, que é normal em operações no intestino.

Além disso em 2020, Bolsonaro realizou duas cirurgias que não tinham relação com o ataque. Em janeiro, o presidente realizou uma vasectomia, procedimento realizado por homens que não desejam mais ter filhos. Em setembro do ano passado, o presidente retirou um cálculo renal.

Durante a conversa no Palácio do Alvorada, gravada e publicada nas redes sociais por apoiadores do presidente, Bolsonaro falou que será "o último" a se vacinar. O presidente disse que deixará que outras pessoas, que estão "apavoradas", possam se imunizar antes.

"Tem muita gente apavorada, aguardando a vacina. Deixa as pessoas tomarem na minha frente. Eu vou tomar, mas por último. Acho uma atitude louvável. Tem gente que não sai de casa, está apavorada dentro de casa", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos