Bolsonaro afirma que questões do Enem 'começam agora a ter a cara do governo'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA — Após servidores relatarem censura em questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que as perguntas da prova "começa agora a ter a cara do governo".

— O que eu considero muito também: começam agora a ter a cara do governo as questões da prova do Enem — afirmou Bolsonaro, após visita a Expo 2020, em Dubai, de acordo com o portal G1.

Em entrevista ao "Fantástico", servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que que produz e coordena o Enem, afirmaram que o órgão sofre reiteradas interferências políticas, e que não são raros os casos de censura ao conteúdo das provas.

Para Bolsonaro, o exame não terá "questões absurdas do passado":

— Ninguém precisa ficar preocupado, aquelas questões absurdas do passado que caíam tema de redação que não tinha nada a ver com nada. Realmente algo voltado para o aprendizado.

Nos últimos dias, 37 servidores do Inep pediram exoneração. Esses servidores estão distribuídos entre quatro das seis diretorias que são os pilares do instituto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos