Bolsonaro afirma que se afastará da política se perder a eleição

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que se afastará da política se perder as eleições em outubro. Ele está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Se essa for a vontade de Deus, eu continuo [na Presidência]. Se não for, a gente passa aí a faixa, e vou me recolher. Porque, com a minha idade, eu não tenho mais nada a fazer aqui na Terra se acabar essa minha passagem pela política aqui em 31 de dezembro do corrente ano", disse na noite de segunda-feira em uma entrevista a podcasts evangélicos.

Os comentários de Bolsonaro, que declarou há um ano que "somente Deus" poderia tirá-lo do poder, são parte de uma retórica mais moderada do presidente, em uma aparente tentativa de atrair eleitores de centro.

Na última pesquisa do Instituto Datafolha, publicada na sexta-feira, o presidente estava 11 pontos atrás do ex-presidente de esquerda (34% frente a 45%), uma distância que se reduz progressivamente desde que registrou 21 pontos em maio.

Bolsonaro disse aos jovens que o que eles decidirem nas eleições poderá marcar seu futuro, antes de criticar os governos de esquerda em outros países sul-americanos.

“Façam comparações com outros países, o que acontece. O que em comum têm esses chefes de Estado onde essas políticas não estão dando certo, em seus respectivos países, e veja se você quer isso ou não para o Brasil”, afirmou.

"Não sou o salvador da pátria, quem vai salvar o Brasil não sou eu", afirmou Bolsonaro na entrevista, que durou mais de quatro horas.

lg/pt/mls/mel/ltl/jc/mvv