Bolsonaro afirma que tem telefonema marcado com presidente da Ucrânia para próxima semana

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que tem um telefonema marcado com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para o próximo dia 18. Será a primeira vez que os dois vão conversar depois do início da guerra entre Ucrânia e Rússia, em fevereiro.

A fala de Bolsonaro ocorreu em declaração após reunião com a presidente da Hungria, Katalin Novák, que pertence ao Fidesz, o mesmo partido do premier Viktor Orbán.

— Disse que no próximo dia 18 tenho um telefonema acertado com o Zelensky assim como depois da minha visita à Rússia, antes do conflito, tive uma outra conversa com o presidente Putin. Nós queremos, cada vez mais, fazer o possível pela paz.

Em fevereiro, poucos após o início da guerra, Bolsonaro chegou a dizer que não tinha o que conversar com Zelensky. Na época, o encarregado de negócios da Ucrânia no Brasil, Anatoliy Tkach, disse que Bolsonaro estava "mal informado" por defender uma posição de neutralidade na guerra e sugeriu uma conversa com o presidente ucraniano.

Oficialmente, o Brasil apoio na Organização das Nações Unidas (ONU) resoluções que criticavam a invasão russa. Entretanto, Bolsonaro sempre disse que a posição do país era de "neutralidade". Além disso, chegou a fazer elogios a Putin e críticas a Zelensky.

O presidente brasileiro esteve na Rússia uma semana antes do início conflito e reuniu-se com Putin. A viagem recebeu críticas por ter sido interpretada como um apoio ao lado russo na guerra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos